A partir de observações realizadas pelo Very Large Telescope, do Observatório Europeu do Sul (ESO), localizado no Chile, os pesquisadores fizeram uma descoberta impressionante: um exoplaneta gigante em um sistema estelar composto por duas estrelas e uma anã marrom.

O sistema multi estelar, conhecido como HIP 81208, está localizado a cerca de 480 anos-luz de distância da Terra, e o exoplaneta recém descoberto é 15 vezes mais massivo que Júpiter, sendo quase massivo o suficiente para ser considerado uma anã marrom. O sistema estelar é composto por uma estrela maior (A) que está sendo orbitada de bem perto por uma anã marrom (B) e uma estrela pequena (C), mais longe. Essa última abriga o novo mundo (Cb) ao seu redor. 

Os astrônomos já sabiam da existência desse sistema multi estelar, mas a descoberta do novo exoplaneta foi uma surpresa. O mundo gigante foi encontrado a partir de uma reanálise das imagens obtidas pelo Very Large Telescope, liderada por A. Chomez do Observatório de Paris.

Imagem do sistema estelar HIP 81208, a estrela A é a maior do sistema, B é a anã marrom, C a estrela pequena e Cb o novo exoplaneta (Credito: ESO/ A. Chomez et al.)
Imagem do sistema estelar HIP 81208, a estrela A é a maior do sistema, B é a anã marrom, C a estrela pequena e Cb o novo exoplaneta (Credito: ESO/ A. Chomez et al.)

A descoberta do exoplaneta faz o sistema multi estelar ser intrigante, possuindo duas estrelas e dois corpos menores as orbitando, ou seja, um sistema quádruplo hierárquico.

publicidade

Leia mais:

Encontra o exoplaneta.

Geralmente para encontrar novos planetas os astrônomos utilizam uma técnica conhecida como método de trânsito, onde são observadas quedas sutis no brilho da estrela, indicando que algo passou entre ela e nós. No entanto, o novo exoplaneta foi descoberto a partir de uma imagem direta, coletada pelo dispositivo Spectro-Polarimetric High-contrast Exoplanet REsearch ( SPHERE ) do telescópio.

Esse tipo de observação é basicamente uma fotografia direta do sistema multi estelar. Para encontrar novos mundos com essa técnica são necessários telescópios super poderosos e câmeras super sensíveis. Essa foi a primeira vez que um sistema quádruplo hierárquico foi observado dessa forma.

Os pesquisadores acreditam que a descoberta do exoplaneta pode ajudar em observações futuras e na compreensão de sistemas estelares complexos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!