Novo estudo liderado pela professora Linda Pescatello, da College of Agriculture, Health and Natural Resources, em colaboração com Elizabeth Lefferts e outros pesquisadores da Universidade Estadual de Iowa (EUA), revelou que adicionar quantidade relativamente mínima de movimento pode reduzir significativamente a pressão arterial em idosos. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista científica Journal of Cardiovascular Development and Disease.

Segundo o Medical Xpress, o estudo concentrou-se em adultos mais velhos sedentários, com idades entre 68 e 78 anos, que caminhavam cerca de quatro mil passos por dia antes do início do estudo. Após revisar estudos existentes, os pesquisadores determinaram que um objetivo razoável seria aumentar para três mil passos por dia. A maioria dos participantes atingiu aproximadamente sete mil passos diários, segundo recomendação do American College of Sports Medicine.

Leia mais:

Dinâmica do estudo

  • Os participantes receberam kit com pedômetros, monitores de pressão arterial e diários de passos para registrar a quantidade de caminhada diária durante o estudo;
  • Em média, a pressão arterial sistólica e diastólica dos participantes diminuiu em sete e quatro pontos, respectivamente, após a intervenção;
  • Pesquisas anteriores indicam que reduções dessa magnitude estão associadas a redução relativa do risco de mortalidade por todas as causas em 11%, mortalidade cardiovascular em 16%, redução de 18% no risco de doenças cardíacas e redução de 36% no risco de AVC;
  • Uma das descobertas importantes do estudo foi a constatação de que a velocidade da caminhada e a realização de caminhadas contínuas não eram tão importantes quanto simplesmente aumentar o número total de passos. O volume de atividade física praticada foi o que realmente importou.

Os pesquisadores destacam que o exercício físico é uma terapia anti-hipertensiva valiosa e complementar ao tratamento medicamentoso. Além disso, eles enfatizam que o volume de atividade física é mais importante do que a intensidade, e que encontrar um ritmo que se adeque ao estilo de vida de cada pessoa é fundamental.

publicidade

Esses resultados são animadores, pois mostram que uma intervenção tão simples quanto aumentar a quantidade de passos diários pode ser tão eficaz quanto o exercício físico estruturado e alguns medicamentos no controle da pressão arterial alta em idosos.

Essa descoberta tem impacto significativo na saúde cardiovascular dos idosos e pode ajudar a prevenir doenças graves, como insuficiência cardíaca, ataques cardíacos e AVC.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!