Se em 1962, com a chegada da pílula anticoncepcional no Brasil, a preocupação em prevenir uma gravidez era uma questão exclusivamente das mulheres, hoje em dia esse cenário está mudando. Embora seja pouco difundido, já existem alguns métodos anticoncepcionais destinados aos homens e que devem chegar ao mercado em breve. 

Para dizer a verdade, desde o século passado cientistas têm estudado e discutido sobre métodos e fórmulas que viabilizem a criação de outros anticoncepcionais masculinos, uma vez que a vasectomia e o preservativo são os únicos métodos contraceptivos para eles atualmente. Porém, uma série de entraves impedem avanços significativos na área.

Leia também:

Dificuldades em encontrar uma fórmula confiável e segura pelos pesquisadores, a falta de interesse do mercado em financiar pesquisas e a produção, e a apática discussão da sociedade em geral sobre o uso e disseminação dos anticoncepcionais masculinos acabaram por atrasar a chegada desses produtos às farmácias. 

publicidade

Na contramão, cresce a discussão sobre a distribuição igualitária de responsabilidades entre os gêneros, seja em questões trabalhistas, pessoais, bem como no planejamento familiar. Hoje em dia, há um entendimento mais consolidado de que ter ou não um filho é responsabilidade de ambas as partes numa relação.

Por isso, o Olhar Digital separou três métodos anticoncepcionais masculinos que têm se mostrado promissores quando o assunto é impedir uma gravidez indesejada.  

Anticoncepcional masculino: quais técnicas existem e como elas funcionam?

1 – Injeção de polímero anídrico maleico de estireno 

O Risug (Inibição Reversível do Esperma Sob Controle) é a mais recente aposta do Instituto Indiano de Tecnologia de Kharagpur, se trata de um gel composto de polímero anidrico maleico de estireno. 

A aplicação é feita por meio de uma injeção na região dos canais deferentes, que levam os espermatozoides até o líquido seminal para o momento da ejaculação. O gel age obstruindo os ductos e afetando a cauda dos espermatozoides, impedindo que eles se movam de maneira efetiva, atrapalhando a fecundação do óvulo. Menos invasivo, o Risug aparece como uma alternativa à vasectomia. 

O efeito pode durar por até dez anos, sendo facilmente revertido com um procedimento simples feito em consultório médico. Com poucos efeitos colaterais, o Risug tem sido bem-visto pela comunidade científica também porque, em uma das fases de testes, teve uma porcentagem de falha de apenas 0,98%. A previsão é que esse anticoncepcional masculino chegue ao Brasil ainda em 2023. 

2 – Pílula hormonal

A pílula hormonal masculina tem sido pesquisada há anos por diversas instituições com fórmulas diferentes, uma delas é o undecanoato de dimetandrolona (DMAU). Estudada por cientistas americanos, a substância se mostrou capaz de diminuir os níveis de testosterona e outros hormônios responsáveis pela produção de espermatozoides. 

A exemplo dos anticoncepcionais femininos, a administração é bem simples, basta tomar a pílula com água uma vez ao dia junto com alguma refeição, a dosagem deve ser pré-determinada por um médico especialista. 

Em estudo supervisionado com mais de 80 participantes, o DMAU não apresentou efeitos colaterais graves, podendo ser uma boa alternativa como anticoncepcional diário. Mas alguns testes ainda são necessários, e a pílula hormonal masculina deve demorar ainda alguns anos para chegar ao mercado.  

3 – Gel anticoncepcional masculino

Outra alternativa interessante é um gel de testosterona e nestorone que deve ser aplicado diretamente na pele, na região dos ombros. Desde que utilizado por pelo menos 60 dias seguidos, o produto promete diminuir a produção de espermatozoides. 

Também conhecido como NES/T, a substância foi criada pela Universidade de Edimburgo, no Reino Unido. Testes apontaram efeitos colaterais semelhantes aos anticoncepcionais usados pelas mulheres: inchaço, pele oleosa e acne. 

Além disso, pode haver uma leve perda de libido, mas esse sintoma deve ser minimizado com a junção da progesterona aos outros componentes da fórmula. O estudo está na fase final de testes, e em breve deve estar disponível para venda. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!