O Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema) do Ceará adiou a votação da construção da usina de dessalinização que pode trazer riscos à internet em todo o Brasil.

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), responsável pelo órgão, não divulgou o motivo do adiamento, segundo o g1. A reunião estava programada para acontecer em Fortaleza (CE), nesta quinta-feira (19), e também analisaria a aprovação de outros projetos.

Leia mais:

A usina de dessalinização, chamada de Dessal do Ceará, foi apresentada em setembro de 2023 e tem como objetivo melhorar o abastecimento de água potável no Estado. No entanto, entidades que representam empresas de telecomunicações e operadoras são contra o projeto devido ao possível dano aos cabos submarinos localizados na praia do Futuro, essenciais para o sinal de internet no País.

publicidade

Preocupação das empresas

  • O rompimento desses cabos poderia comprometer parcialmente a internet brasileira e até mesmo de países vizinhos, causando instabilidades e até mesmo um apagão na rede;
  • Por sua vez, a companhia de água e esgoto garante que a infraestrutura da usina não representará nenhum risco aos sistemas de comunicação e que o projeto foi modificado para aumentar a distância entre a infraestrutura da usina e os cabos submersos;
  • A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) afirmou que está acompanhando de perto o caso e, se necessário, proporá soluções alternativas para garantir que a usina funcione sem prejudicar a conexão dos brasileiros;
  • Até o momento, a nova data para a votação não foi divulgada pelo governo estadual.

Amazon e Jeff Bezos sob pressão por desinformação da Alexa

Na última quarta-feira, legisladores americanos pressionaram o fundador da Amazon, Jeff Bezos, sobre os planos da empresa para evitar a disseminação de desinformação antes das eleições de 2024. Isso ocorreu após uma reportagem do The Washington Post, trazido pelo Olhar Digital aqui, revelar que a assistente de voz da empresa, a Alexa, propagou alegações falsas de que as eleições de 2020 foram fraudadas.

Leia a matéria completa aqui