Um documento de oito páginas assinado por Cristóvão Colombo foi leiloado por cerca de 4 milhões de dólares (R$ 20 milhões na conversão direta), pela casa de leilões Christie’s.

Conhecida como “De insulis nuper inventus” (das ilhas recém-descobertas), a carta descreve a topografia e as pessoas das “ilhas da Índia” — que se refere a Hispaniola (atual Haiti e República Dominicana) e outras ilhas menores.

Segundo a casa de leilões, esse documento presenciou “o primeiro frenesim mediático alguma vez visto, espalhando-se rapidamente por toda a Europa e mudando para sempre a percepção popular do tamanho, forma e possibilidades do seu mundo”.

Leia mais:

publicidade

O documento

  • A carta possui quatro folhas, com escritos em ambos os lados;
  • Ela contém um texto espanhol traduzido para o latim, datado como “do terceiro dia antes das calendas de maio de 1493” e enviado a Gabriel Sánchez -que foi o “tesoureiro dos mais serenos soberanos Fernando e Isabel;
  • Colombo descreve Sánchez como o homem “para quem a nossa época tem uma grande dívida”;
  • Antes do leilão, o documento esteve presente em biblioteca privada suíça durante um século, mas não há registros sobre seu histórico anterior.
“De insulis nuper inventus” (Das ilhas recém-descobertas) / Imagem: CHRISTIE’S (CHRISTIE’S/EFE)

De acordo com o El País, essa carta foi impressa em Roma cerca de 40 anos após a invenção da imprensa, Além disso, ela inclui um parágrafo introdutório que descreve Colombo como um homem “a quem a nossa época tem uma grande dívida”, que ajudou a espalhar a notícia da viagem por toda a Europa.

“Acho que há sinais muito claros de ter sido preparado por um grupo de editores da corte real”, disse Felipe Fernández-Armesto, biógrafo, ao jornal norte-americano The New York Times . “Mas não tenho dúvidas de que os materiais que usaram para escrevê-lo incluíam algum tipo de relatório de Colombo, e suponho que isso o torna uma curiosidade histórica muito significativa.”