Pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Graz (TU Graz), na Áustria, desenvolveram estudo para entender como as bactérias encontradas em frutas e vegetais afetam os microbiomas humanos. A equipe comprovou que o consumo de frutas e vegetais contribui positivamente para a diversidade bacteriana de nosso microbioma intestinal.

“A prova de que os microrganismos provenientes de frutas e vegetais podem colonizar o intestino humano foi agora estabelecida pela primeira vez”, afirma Wisnu Adi Wicaksono, autor do estudo.

publicidade

Leia mais:

O microbioma humano é a coleção de microrganismos que colonizam o corpo humano, desempenhando funções importantes na digestão, no sistema imunológico e em outras funções fisiológicas.

publicidade

Estudo

  • Durante a pesquisa, a equipe criou catálogo de dados do microbioma de 156 frutas e vegetais;
  • Em seguida, compararam esses dados com resultados de outros dois estudos sobre a flora intestinal humana, sendo um sobre o microbioma de bebês e, outro, de adultos;
  • O estudo apresentou dados e metagenoma de cerca de 2,5 mil amostras de fezes, permitindo aos investigadores analisar milhares de sequências;
  • Segundo o New Atlas, o resultado desse estudo demonstrou a presença de microflora de frutas e vegetais no intestino humano, com bactérias associadas a frutas e vegetais contribuindo para média de 2,2% da diversidade bacteriana global.

“A ingestão de bactérias associadas às plantas por meio do consumo de frutas e vegetais é uma das principais ligações entre o microbioma humano e o microbioma ambiental”, disse a equipe. “Portanto, quaisquer factores que influenciem a microbiota indígena de frutas e vegetais, ou seja, práticas agrícolas, reprodução e tratamentos pós-colheita, podem afetar direta ou indiretamente a composição da microbiota intestinal.”

Cada fruta e vegetal tem microbioma único […] Então, talvez, em algum momento, uma dieta personalizada possa ser elaborada com base nisso.

Gabriele Berg, coautora do estudo

Com os resultados da pesquisa, a equipe se prepara para estudo internacional que pretende avaliar as fezes de diversas pessoas, que se alimentarão da mesma substância durante certo período.