Não é de hoje que o Microsoft Edge duela com o Google Chrome e o Mozilla Firefox no mesmo nível. Já há alguns anos, o navegador passou a ser baseado no Chromium e abastecido com inteligência artificial (IA), o que o deixou muito mais leve, intuitivo e funcional.

Contudo, assim como nos tempos do saudoso Internet Explorer, quando Bill Gates e cia usaram (e abusaram) de truques escusos para bater a concorrência no fim dos anos 1990 e início dos anos 2000, a Microsoft segue usando artimanhas para forçar usuários do Windows a usarem seu navegador atual.

Leia mais:

O Edge é o atual navegador padrão do Windows, o que não impede que o usuário instale outros.

publicidade

Porém, a Microsoft vem querendo impor o uso de seu programa. Por exemplo, algumas atualizações de seu sistema operacional chegaram a iniciar o Edge e a fixá-lo na Área de Trabalho sem autorização.

Abaixo, confira outros truques que a companhia vem utilizando para impedir que quem tem Windows use outros navegadores:

Enquete ao baixar o Google Chrome

Quando você abre a página de download do Chrome no Edge, surge uma pesquisa questionando o download. O texto diz: “Amamos ter você aqui! Você poderia tirar um minuto para nos dizer por que você está baixando outro navegador?”, segundo o The Verge.

Além disso, o Olhar Digital constatou outras duas artimanhas: ao acessar a página inicial do site do Chrome, o Edge abre uma janela tentando convencer o usuário a não realizar o download. Também foi difícil de baixar o aplicativo, pois, ao clicar em “download”, abre-se uma tela indicando que o Chrome será baixado automaticamente, mas isso não acontece. É preciso clicar uma segunda vez para que o download comece.

Microsoft tenta impedir o usuário de trocar de navegador ao afirmar que o Edge tem a mesma tecnologia e possui sua “confiança adicional” (Imagem: Rodrigo Mozelli/Olhar Digital)

Windows 11 europeu só com Edge

Na Europa, a Microsoft forçava os usuários do Windows 11 a acessar o Edge caso eles clicassem em um link no painel de widgets do sistema operacional ou nos resultados de pesquisa.

Nas últimas atualizações do Windows 11, a Microsoft começou a testar a remoção desse recurso, porém, ele está limitado aos países que participam da Espaço Econômico Europeu (EEE).

No Espaço Econômico Europeu (EEE), os componentes do sistema Windows utilizam o navegador predefinido para abrir links.

Nota de mudança de versão de teste do Windows 11 lançada para testadores do Dev Channel no mês passado

Pop-up da Microsoft no Chrome

O jornalista Tom Warren, do The Verge, notou, em seu computador, outra técnica bem invasiva da Microsoft para manter suas ferramentas ativas mesmo no Chrome.

O profissional relata que, enquanto fazia algumas coisas no Chrome, repentinamente, uma janela pop-up, similar a de um malware, surgiu na tela. Nela, a Microsoft o questionou se ele não queria mudar o buscador padrão de seu Chrome para o Bing.

Esse tipo de abordagem não é normal. Segundo o jornalista, a janela não aparecia na central de notificações do Windows 11 e nem estava ligada ao espaço do SO que sugere novos recursos. Segundo ele, o pop-pup era um arquivo autoexecutável que surgiu na pasta c:\windows\temp\mubstemp – e é assinado digitalmente pela própria Microsoft.

Bing diz: “Não é necessário baixar um novo navegador da Web”

O Olhar Digital também experimentou procurar o termo “chrome” no Bing. Em resposta, o buscador da Microsoft traz links para o download do navegador, mas, antes, mostra uma mensagem bem clara: “Não é preciso baixar um novo navegador da Web.”

Bing deixa claro que você não precisa de outro navegador (Imagem: Rodrigo Mozelli/Olhar Digital)

Contudo, a situação muda de figura quando perguntamos ao Bing Chat sobre o Chrome. Ele explica o que é o navegador do Google e, se perguntamos “como instalar o Chrome?”, o Chat explica o passo-a-passo, e ainda diz no final: “espero que isto tenha ajudado!”.

Bing desconversa sobre o Chrome

Outra jornalista do The Verge, Sean Hollister, digitou “Chrome” na barra de pesquisa do Edge, configurada com o Bing, em novo computador com Windows 11.

Para a surpresa dela, o Bing não mostrou o que ela queria, mas, sim… recursos do Bing. Segundo ela, “claramente, este não é o chatbot GPT-4 da Microsoft em funcionamento – é uma interação totalmente ‘enlatada'”. Outras pessoas nos EUA e em outros países experienciaram a mesma situação.

Quer abrir links no Outlook e Teams? Só no Edge!

Outra tática que a Microsoft utiliza para forçar o uso de seu navegador é fazer com que o Outlook e o Teams abram links no Edge, ignorando totalmente o navegador padrão do SO.

Se você usar o Bard, o Edge te lembra do Bing

Há ainda relatos (confirmados pelo Olhar Digital) de que acessar o Bard no Edge pode ser bem irritante. Isso porque, na barra de endereços, a Microsoft te lembra que o Bing também é abastecido com IA e te “convida” a experimentá-lo, mantendo um botão com o logo de seu buscador e chatbot.

Ao clicar nele, o navegador abre uma guia dividida, com o Bard à esquerda e, à direita, uma pesquisa no Bing sobre sua IA.

Nem os dispositivos portáteis estão a salvo

Nos últimos anos, com o declínio do Windows Phone e a consolidação do iOS e do Android, a Microsoft vem tentando, em seus apps, forçar os usuários a baixar e a usar o Edge. Por exemplo: testadores do Outlook do iOS são “convidados” a ver links de e-mails em seu navegador, mesmo que ele não esteja instalado no iPhone. Vale lembrar que a janela aparece somente na versão beta (por enquanto).

Complementos de terceiros que burlam o Edge são bloqueados

Há algum tempo, desenvolvedores vêm lançando alternativas para burlar o Edge, mesmo no menu Iniciar. Um deles é o EdgeDeflector, disponível no GitHub. Porém, a Microsoft está bloqueando essas ferramentas para seguir forçando o uso de seu navegador, tanto no Windows 10, como no Windows 11.

Microsoft força reinício do PC para instalar apps da web indesejados

Outra situação bizarra é a Microsoft dar uma de hacker e forçar a reinicialização dos Windows 10 para instalar aplicativos da web que o usuário não pediu. A empresa afirmou que, em parte, isso foi um erro e que irá pausar as instalações.

A princípio, a empresa queria que sites fixados no menu Iniciar fossem abertos no Edge, mas, agora, a companhia trata isso como um bug. A mudança também fez com que atalhos da web existentes do 365 virassem app web PWA – algo realizável no Edge.

Não dá para desinstalar o Edge – e a Microsoft explica em seu FAQ

Muitos pesquisam (no Google) qual o motivo de o Edge ser impossível de desinstalar. E qual é um dos tópicos do FAQ do Edge na página da Microsoft? “Por que não posso desinstalar o Edge?” Veja a resposta completa abaixo:

O Microsoft Edge é o navegador da Web recomendado pela Microsoft e é o navegador da Web padrão para Windows. Como o Windows dá suporte a aplicativos que dependem da plataforma da Web, nosso navegador da Web padrão é um componente essencial do nosso sistema operacional e não pode ser desinstalado. Para fornecer aos usuários compatibilidade, conformidade, acessibilidade e desempenho, continuaremos a atualização do Microsoft Edge por meio do instalador do navegador ou das atualizações do Windows.

O Microsoft Edge oferece aos usuários controle total sobre a importação de dados pessoais de outros navegadores. Além disso, os usuários do Windows podem baixar e instalar outros navegadores e alterar o navegador padrão a qualquer momento.

Microsoft, na página de FAQ do Edge

Atualizações do Windows mais lentas

Em 2020, a Microsoft começou a incluir, inadvertidamente, em suas atualizações do Windows, o novo Edge baseado no Chromium. Apesar de ser mais veloz e robusto que sua antiga versão, o navegador deixava o Windows lento durante sua instalação e se abria sem autorização do usuário.