A OpenAI se tornou o assunto do fim de semana após demitir, na sexta-feira (17), o CEO e “rosto” da empresa, Sam Altman. Em meio a diversas reviravoltas para tentar resolver a crise instalada, a startup de IA teria oferecido o cargo do antigo diretor ao chefe da Anthropic, além de ter considerado uma fusão com a rival. 

De acordo com o The Information, o caso teria ocorrido antes da OpenAI anunciar Emmett Shear como o novo CEO interino, em uma tentativa de acalmar os investidores. Além de convidar Dario Amodei, CEO da Anthropic, para ocupar o lugar de Altman, a companhia também teria dado a ideia de uma fusão entre as startups de IA. Amodei recusou as duas ofertas, segundo fontes ao portal. 

publicidade

Leia mais! 

O que aconteceu: 

publicidade
  • O fim de semana foi marcado por diversas reviravoltas em curto período na OpenAI que, após cortar Altman, recebeu outros pedidos de demissão em solidariedade ao antigo CEO;  
  • Entre os nomes está Greg Brockman, presidente da OpenAI — ele pediu seu desligamento após ser, no mesmo dia, destituído de sua cadeira no Conselho da empresa e apenas avisado sobre a demissão do colega (veja aqui);  
  • Com o efeito dominó, investidores alertaram a OpenAI sobre a possibilidade de um impacto de US$ 86 bilhões nas vendas de ações — sem mencionar a imagem da empresa em um mercado no qual estava liderando;  
  • Assim, o grupo se reuniu para discutir um provável retorno de Altman, mas o desfecho foi diferente: Emmett Shear, um dos cofundadores da Twitch, foi anunciado como o novo CEO interino (confira detalhes aqui);  
  • Com a novidade, a Microsoft também se pronunciou dizendo então que tanto Altman como Brockman seriam contratados pela big tech; 
  • Com a confirmação das mudanças, diversos colaboradores agora ameaçam deixar a empresa para se juntar a Altman; 
  • Apesar de tantos desfechos e anúncios, o burburinho sobre se o especialista retorna ou não a OpenAI continua devido pressão de investidores. 

Vale lembrar que os cofundadores da Anthropic também foram executivos da OpenAI. O acordo entre eles foi rompido em 2020 devido a divergências sobre como garantir o desenvolvimento seguro e a governação da IA. 

Atualmente, a startup recebe investimentos do Google e da Amazon e seu modelo de IA, Claude AI, tem destaque contra o GPT da OpenAI.