Localizado no Chile, o Atacama Large Millimeter/submillimeter (ALMA), considerado o maior complexo de radiotelescópios em operação do mundo, obteve recentemente sua imagem de maior resolução. A captura revela detalhes dos últimos momentos de vida de uma estrela.

De acordo com um artigo publicado este mês no periódico científico The Astrophysical Journal, que detalha o feito, as capacidades do observatório foram elevadas a uma resolução angular de cinco milissegundos de arco. Isso equivale a ver um ônibus escolar na superfície da Lua.

Além disso, representa uma melhoria de 15 vezes em comparação com observações anteriores do mesmo objeto, a estrela envelhecida R Leporis. Situada na constelação de Lepus,  a 1.350 anos-luz da Terra, esta é uma estrela variável bem conhecida que brilha com uma luminosidade de cerca de 6,7 mil vezes a do Sol.

Animação mostra o movimento do cianeto de hidrogênio ao redor da estrela R Leporis. Crédito: Y. Asaki e N. Lira – ALMA (ESO/NAOJ/NRAO)

Visão mais detalhada do maser em torno da estrela R Leporis

A imagem foi obtida usando os receptores Band 10 (alta frequência) e uma configuração das antenas de comprimento basal máximo de 16 km, bem como uma nova técnica de calibração para ajudar a refinar as observações.

publicidade

O resultado fornece a visão mais detalhada até agora sobre o maser em torno de R Leporis. Um maser é exatamente como um laser, mas é específico para emissão de micro-ondas. Neste caso, é a emissão de cianeto de hidrogênio que é encontrada em uma nuvem que envolve a estrela R Leporis.

Esta conquista notável em imagens de alta resolução por meio dos recursos avançados do ALMA representa um marco significativo em nossa busca para entender o Universo. Estamos entusiasmados com as novas possibilidades para a comunidade científica.

Yoshiharu Asaki, astrônomo do ALMA que liderou este projeto, em um comunicado.

A equipe também pôde estudar o movimento dessa nuvem de gás. A emissão do maser é em um comprimento de onda específico e, ao procurar um deslocamento Doppler – como o tom de uma sirene mudando se uma ambulância está se aproximando ou se afastando – os cientistas poderiam descobrir se o gás estaria vindo em nossa direção ou não.