Além de repreender o uso de adblocks no YouTube, o Google também vai limitar o uso de bloqueadores de anúncio no Chrome a partir de 2024 com um novo e polêmico formato de extensão, o “Manifest V3”.

Anunciado há um ano, o MV3 foi suspenso no fim de 2022 após protesto de usuários e desenvolvedores, mas já tem data para voltar.

Leia mais:

O que você precisa saber:

  • Uma postagem no blog oficial do Google diz que a empresa eliminará o Manifest V2, o formato atual para extensões do Chrome.
  • Isso acontecerá a partir de junho de 2024, data prevista para o lançamento da versão 127 do navegador.
  • O formato antigo será descontinuado primeiro nas versões de teste do Google Chrome (Beta, Dev e Canary). 
  • Segundo o Google, extensões no formato antigo serão automaticamente desativadas e não poderão mais ser instaladas pela Chrome Web Store.
Cursor sobre ícone do Google Chrome na barra Dock do Mac
(Imagem: Foxartbox/ Shutterstock)

Fim do uso de adblock no Chrome?

Em desenvolvimento desde 2018, o formato MV3 prejudicará diretamente os bloqueadores de anúncios por não usar APIs essenciais, limitando a capacidade de rastrear propagandas.

publicidade

Uma delas é a ‘WebRequest’. Ainda disponível nas extensões MV2, ela permite que adblocks gerenciem arquivos e cookies de páginas para bloquear anúncios. 

Segundo o ArsTechnica, não há nenhuma justificativa para a mudança, já que o Manifest V2 funciona bem mesmo sem qualquer limitação.

Quando a mudança chega para todos?

A empresa afirma que deve levar “pelo menos um mês” até que a alteração seja lançada na versão estável do Chrome (a que a maioria das pessoas usa diariamente), ou seja, a partir de julho de 2024.

Resta saber qual será a resposta quando os bloqueadores de anúncios deixarem de funcionar. A ONG americana Electronic Frontier Foundation (EFF) aponta que, diferente dos argumentos do Google, o Chrome não irá usar menos recursos ou ficará mais seguro após a alteração.

Qual a saída?

Apesar do Chrome ser o navegador mais popular, uma alternativa será migrar para outro velho conhecido, o Firefox. O navegador da Mozilla também está implementando o Manifest V3, mas fará isso sem alterar o funcionamento dos adblocks.

Uma postagem no blog da Mozilla promete que a implementação do MV3 vai garantir que os usuários possam continuar usando ferramentas de privacidade, incluindo bloqueadores de anúncios.

Vale ressaltar que a decisão do Google afetará todos os navegadores baseados no Chromium, ou seja, Opera, Microsoft Edge, Vivaldi, entre outros.