Tanto o anime quanto o mangá são formas de mídia originadas no Japão e que refletem a cultura criativa do país no ato de contar histórias e ilustrá-las de diferentes maneiras. Devido à sua fama, foram disseminadas, também, fora da nação japonesa e já se encontram praticamente em qualquer lugar do mundo. A seguir, confira a diferença primordial entre anime e o mangá, e entenda como ambas as mídias se relacionam.

Leia mais:

Há alguma diferença entre o anime e o mangá?

Saint Seiya Lost Canvas mangá
Reprodução: Saint Seiya Lost Canvas

O anime pode ser compreendido como as animações japonesas, isto é, os cartoons ou desenhos japoneses. Estas produções podem aparecer no formato de filmes ou séries, e costumam ser inspiradas em histórias da cultura do país ou baseadas em produções pertencentes ao ramo da literatura, como os mangás; embora também existam animes que deram origem a mangás.

Os mangás também consistem em uma forma de ilustração de personagens, assim como os animes, mas estão conectados à literatura e compartilham suas histórias por meio de textos e imagens desenhadas à mão. Ou seja, os mangás são as histórias em quadrinhos japonesas. Diferente da maioria dos HQs ocidentais, os mangás não possuem cores (isto é, são produzidos, impressos e distribuídos em preto e branco), e são lidos da direita para a esquerda (de trás para frente na percepção ocidental) porque este é o sentido de leitura da língua japonesa.

publicidade
The Lost Canvas não é do autor original de Cavaleiros do Zodíaco
Anime é inspirado em mangá de Shiori Teshirogi. Imagem: Toei/Divulgação

A relação de ambas as mídias se instaura a partir do momento em que os animes se tornam adaptações fieis de seus mangás: enquanto os mangás produzem cenas em preto e branco e oferecem uma movimentação mais restrita de seus personagens; os animes tem maior liberdade criativa para aprimorar os traços dos personagens, colorir suas roupas e cenários, e ainda adicionar alta maleabilidade a movimentos animados deles.

Inclusive, quando o mangá, no qual o anime é baseado, ainda não foi concluído e a adaptação está chegando perto dos últimos capítulos publicados nos quadrinhos, a animação começa a exibir episódios chamados de “fillers”: histórias que não estão presentes no mangá e que não fazem diferença para compreender a narrativa principal. Os fillers atrasam a história principal para que o mangaká (autor de mangá) tenha tempo de finalizar o mangá e só então o anime possa retomar os acontecimentos essenciais.

Sobre o conteúdo dessas mídias, é possível informar que há inúmeras gêneros possíveis para explorar nas histórias: essas categorias vão desde classificar o tipo da história (como fantasia, romance, comédia, sci-fi, lutas) à classificar o público-alvo que teria interesse no tipo da narrativa construída (como Yaoi e Yuri).