Cientistas descobriram a primeira estrutura de disco já encontrada ao redor de estrela fora da Via-Láctea. O disco rodeia uma estrela jovem e massiva que está se formando em uma creche estelar chamada N180.

Essa estrela está localizada na Nuvem de Magalhães, galáxia anã vizinha da nossa. O disco está a uma distância de 163 mil anos-luz da Terra – o que significa que não apenas é o primeiro disco detectado fora de nossa galáxia, mas, também, é o disco mais distante já observado.

Leia mais:

A matéria não pode cair diretamente em uma estrela. Em vez disso, se aplaina, formando disco que gira ao redor da estrela. Mais próximo dela, o disco gira mais rápido. Os cientistas conseguiram captar essa diferença de velocidade usando telescópios, confirmando que se trata de disco ao redor de estrela distante.

publicidade

Discos além da Via-Láctea

  • Conforme o Independent, discos desse tipo já foram vistos antes, mas apenas em nossa própria galáxia;
  • Ter a capacidade de enxergá-los fora da Via-Láctea é conquista notável da tecnologia, afirmam os cientistas.

A dra. Anna McLeod, do Centro de Astronomia Extragaláctica da Universidade de Durham e autora principal do estudo, disse:

“Quando vi pela primeira vez evidências de estrutura giratória nos dados do ALMA [telescópio localizado no Chile], não podia acreditar que tínhamos detectado o primeiro disco de acreção extragaláctica; foi momento especial. Sabemos que os discos são fundamentais para a formação de estrelas e planetas em nossa galáxia, e aqui, pela primeira vez, estamos vendo evidências diretas disso em outra galáxia. Estamos vivendo uma era de avanço tecnológico rápido quando se trata de instalações astronômicas. Ser capaz de estudar como as estrelas se formam a distâncias incríveis e em uma galáxia diferente é muito emocionante.”

Publicação e conclusões

Os resultados foram publicados em novo artigo intitulado “Um disco provavelmente kepleriano alimentando uma estrela jovem maciça revelada opticamente” na revista Nature.