O Telescópio Espacial James Webb, divulgou no último dia 28 uma imagem impressionante. A foto mostra uma faixa colorida que é, na verdade, um sistema protoestelar emitindo jatos, chamado de HH 797.

  • HH significa Herbig-Haro, estruturas nebulosas formadas a partir da emissão de jatos de estrelas jovens e pequenas;
  • O brilho da HH 797 é devido ao choque criando pela turbulenta interação entre a Complexo de Nuvens Negras de Perseus e o sistema, que está bombardeando o outro;
  • Observações terrestres anteriores já observara o desvio para o infravermelho desses jatos, o que permitiu compreender o movimento deles;
  • Assim, foi possível definir que a parte esquerda, mais longa, está vindo em nossa direção, enquanto a parte direita está indo para longe.

Movimentação dos jatos

A direção em que o jato está se movimentando foi calculada a partir da velocidade com que ele altera a luz emitida. O que acontece é conhecido como Efeito Doppler, quando existe um afastamento e uma aproximação entre uma fonte de ondas e o observador. Nesse caso, o jato que se aproxima fica mais azulado, enquanto o que está se afastando assume tons mais vermelhos.

No entanto, os pesquisadores perceberam desvios para o azul e vermelho diferentes em cada um dos jatos. A parte inferior do jato da direita parece ser ligeiramente deslocada para o vermelho quando comparada à superior. No início, pensava-se que se tratava de um jato girando, mas depois descobriu-se que a HH 797 eram duas protoestrelas ao invés de uma.

Foto completa captura pelo James Webb (Crédito: ESA/Webb, NASA e CSA, T. Ray (Instituto de Estudos Avançados de Dublin))
Foto completa captura pelo James Webb (Crédito: ESA/Webb, NASA e CSA, T. Ray (Instituto de Estudos Avançados de Dublin))

Leia mais:

publicidade

Não se sabe bem o que leva a formação desses jatos, mas os cientistas acreditam que eles são causados a partir da interação do forte campo magnético da protoestrela e materiais próximos a ela. Enquanto esse material vai acumulando, parte dele é ejetado para fora do seu eixo de rotação em dois jatos finos, que ao se acumularem formam a estrutura observada na foto do James Webb.

Além da HH 797, a captura de JWST também mostra outra protoestrela, na parte superior da imagem, mas com um estilo de fluxo completamente diferente.