O Telescópio James Webb foi responsável pela primeira imagem detalhada do gelo em um disco de formação planetária. A descoberta foi feita por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Leiden e publicada na última quarta-feira (6) na revista Astronomy & Astrophysics.

A estrela estudada foi a jovem HH 48 NE. O telescópio captou a luz que passou através do disco de formação planetária. A estrela e o disco estão localizados a cerca de 600 anos-luz da Terra, na constelação meridional do Camaleão. O disco parece um hambúrguer, com uma faixa central escura e dois pães brilhantes porque o olhamos de lado, de lado. 

O que você precisa saber sobre a descoberta do James Webb?

  • James Webb foi responsável pela primeira imagem detalhada do gelo em um disco de formação planetária
  • A estrela estudada foi a jovem HH 48 NE
  • A estrela e o disco estão localizados a cerca de 600 anos-luz da Terra

A caminho do telescópio, a luz das estrelas colide com muitas moléculas do disco. Isso cria espectros de absorção com picos específicos para cada molécula. A desvantagem é que pouca luz chega ao telescópio, especialmente a partir da parte mais densa do disco na faixa escura. Mas como o Telescópio Espacial James Webb é mais sensível do que qualquer outro telescópio, os baixos níveis de luz não representam um problema

Universidade de Leiden
O disco parece um hambúrguer, com uma faixa central escura e dois pães brilhantes porque o olhamos de lado, de lado (Imagem: HST, JWST, Sturm et al)

Por que o gelo é importante?

O gelo permite que as partículas sólidas de poeira se aglomerem em pedaços maiores, a partir dos quais se formam planetas e cometas. Além disso, os impactos dos cometas portadores de gelo provavelmente contribuíram significativamente para a quantidade de água na Terra. O gelo também possui moléculas de carbono e outros elementos fundamentais para a vida.

Apesar disso, o gelo nos discos de formação planetária nunca tinha sido mapeado em detalhe antes. Isso ocorre porque os telescópios baseados na Terra são prejudicados pela nossa atmosfera contendo água e porque outros telescópios espaciais não eram grandes o suficiente para detectar e identificar esses alvos. O James Webb conseguiu fazer isso.

publicidade

Leia mais:

“O mapeamento direto do gelo num disco de formação planetária fornece informações importantes para estudos de modelação que ajudam a compreender melhor a formação da nossa Terra, de outros planetas no nosso Sistema Solar e em torno de outras estrelas. Com estas observações, podemos agora começar a fazer afirmações mais firmes sobre a física e a química da formação estelar e planetária”, afirma o principal autor do estudo, Ardjan Sturm da Universidade de Leiden.

“Em 2016, criamos um dos primeiros programas de pesquisa do JWST, Ice Age. Queríamos estudar como os blocos de construção gelados da vida evoluem na viagem desde as suas origens nas nuvens interestelares frias até às regiões de formação de cometas de sistemas planetários jovens. Agora os resultados estão começando a chegar. É um momento realmente emocionante”, completa ainda a coautora Melissa McClure.