O Brasil marcou presença no primeiro encontro do Órgão Consultivo das Nações Unidas (ONU) para a Inteligência Artificial (AIAB), importante grupo de discussão que tem como objetivo abordar desafios da tecnologia e auxiliar os governos em questões de regulação e governança.

O encontro tratou de temas fundamentais, como o desenvolvimento ético da inteligência artificial (IA), estratégias para mitigar riscos no uso da tecnologia e como as estruturas políticas globais podem lidar com a inovação e utilizá-la em benefício da sociedade.

Leia mais:

O evento contou com a presença do secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, que teve ainda a presença do Brasil por meio do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

publicidade

O objetivo do encontro é alcançar consensos científicos sobre a tecnologia da IA e garantir que ela funcione em favor da humanidade. As conclusões obtidas serão apresentadas em conferência global que ocorrerá em setembro do próximo ano, na qual serão propostas medidas a serem tomadas pelos líderes mundiais.

Imagem: Divulgação/MJSP

Segurança digital e outras questões-chave na discussão

  • Uma das principais questões debatidas no encontro foi a segurança digital, considerada de extrema importância;
  • Foi ressaltado o alinhamento das recomendações relacionadas à IA com as metas de desenvolvimento sustentável e a proteção dos direitos humanos;
  • Além disso, o relatório produzido durante o encontro será enviado a governos do mundo inteiro, fornecendo diretrizes práticas para líderes do setor e legisladores, contribuindo para a formulação de políticas de regulação da IA;
  • A ideia é que as discussões futuras sobre o tema sejam baseadas nas conversas e conclusões apresentadas no documento.

IA: TSE e Anatel assinam acordo para combater desinformação

Entre as preocupações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em relação às eleições municipais de 2024 está o risco de fraude por meio do uso de inteligência artificial (IA). Tanto que o presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, assinou recentemente um acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para combater a reprodução de desinformação produzida com IA.

Leia a reportagem completa aqui