O Império Egípcio dominou o norte da África por mais de três mil anos, pois era o centro cultural, filosófico e também se tornou um grande centro de inovação e tecnologia. Ao longo dos milênios, centenas de invenções surgiram na região. Vamos conhecer nove grandes invenções dos egípcios?

Leia mais:

1. Sistema de canalização e tratamento de água

Vale do Rio Nilo
Ibn Tulun Aqueduct, Cairo, Egito (Aqueduto de Ibn Tulun, Aqueduto de Basatin). Créditos: Fotógrafo Desconhecido, Wikimedia Commons.

A capacidade canalizar e tratar a água é uma tecnologia importantíssima para garantir a saúde pública de uma população. O sistema de canalização e tratamento de água desenvolvido pelo Antigo Egito representou uma inovação pioneira que influenciou positivamente os sistemas modernos de abastecimento de água e tratamento de esgoto.

Os egípcios não apenas garantiram acesso à água, como também promoveram o tratamento dela. Ao trazer a água do Nilo para as áreas urbanas, os egípcios implementaram filtros rudimentares, que ajudavam na melhoria da qualidade da água consumida pela população.

publicidade

2. Desenvolvimento do papiro

Pintura em parede mostra a “grande cobra de Apophis”, que, pela descrição, se assemelha à boomslang, espécie que hoje em dia não existe no Egito. Crédito: Elysha McBride, Isabelle C. Winder e Wolfgang Wüster/ Environmental Archaeology 2023

A invenção dos precursores do papel é um marco para todas as civilizações que o desenvolveram. Uma inovação importantíssima para a comunicação escrita, o papiro foi criado pelos egípcios a partir da planta Cyperus Papyrus.

Leve e durável, a criação do material permitiu a produção de documentos e livros que foram cruciais para a preservação e divulgação do conhecimento da sociedade egípcia. O papiro não foi apenas o precursor do papel, mas do próprio ato da documentação, influenciando culturas do Mediterrâneo e do resto do mundo. Servindo como memória dos povos antigos, preservando suas histórias até os dias de hoje.

3. Roda de oleiro

Vasos de cerâmica de alta qualidade encontrados em alguns dos túmulos mais ricos escavados por uma equipe de arqueólogos da Suécia. Crédito: P.M. Fischer

A produção industrial, mesmo que em pequena escala, é um fato importantíssimo para a evolução das comunidades humanas ao longo da história. E uma invenção simples dos egípcios, a roda de oleiro, desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento das artes e da produção de cerâmica.

Ao proporcionar uma plataforma giratória para moldar o barro, a roda de oleiro apresentou um avanço importante para o aumento da eficiência e precisão da fabricação de cerâmicas. Não somente facilitou a produção em massa de recipientes utilitários, como potes e vasos, mas também estimulou a expressão artística por meio da modelagem intricada.

4. Arco e flecha egípcios

Imagem de um centauro com cauda de escorpião apontando um arco e flecha, simbolizando o signo zodiacal Sagitário. Crédito: Ahmed Emam/Ministério do Turismo e Antiguidades

O arco e flecha é uma invenção comum a diversas culturas antigas. A sua utilização como armas de caça e combate é uma prática que se desenvolveu de forma independente em diferentes partes do mundo ao longo da história.

Entretanto, o aperfeiçoamento da tecnologia do arco e flecha pelos antigos egípcios representa uma contribuição duradoura para a história. A escolha de materiais – como a madeira flexível de tamariske para o corpo e o refinamento das técnicas de encordoamento usando tendões de animais – revela uma compreensão refinada das propriedades necessárias para um arco eficaz.

Além de ter se tornado uma arma extremamente eficaz, o arco egípcio também possuía um papel simbólico vinculado à representação de poder em rituais religiosos.  A habilidade dos egípcios em aprimorar e diversificar essa arma essencial foi uma das chaves para seu domínio ao longo dos milênios.

5. Cerveja

Detalhe de uma antiga estela egípcia representando um mercenário sírio desfrutando de cerveja em uma taverna, circa 1300 a.C. Cédito: Vasili/wikimedia commons

Elemento cultural presente até hoje em diversos povos ao redor do globo, a cerveja é uma invenção dos antigos egípcios. Ao experimentar o refinamento de técnicas de fermentação de grãos, utilizando ingredientes como cevada e água, os egípcios criaram uma bebida que não apenas saciava a sede, mas também desempenhava papéis sociais e religiosos.

Devido à expansão do Império Egípcio, a cerveja foi levada para outras culturas, solidificando o legado dessa invenção na história do mundo.

6. Cosméticos e maquiagem

Imagem: Sergii Figurnyi/Shutterstock

Muito mais que uma ferramenta estética, a maquiagem surgiu no Egito por motivos rituais e simbólicos. A partir do uso de misturas de fuligem e gordura conhecidas como kohl, os egípcios não apenas realçavam traços faciais, mas também confeccionavam padrões que indicavam autoridade e santidade.

Essa produção de cosméticos não apenas influenciou a concepção de beleza que perdura até hoje, mas também fundou o costume que alimentou a moda ao redor mundo e perdura até hoje.

7. Sistema de irrigação

Os egípcios se destacaram em todas as áreas do desenvolvimento tecnológico, mas foi à agricultura que eles mais brilharam. Entre as várias inovações para a melhoria da agropecuária, a implementação de sistemas avançados de irrigação pelos antigos egípcios ao longo do rio Nilo representou uma conquista.

Ao canalizar as águas do Nilo para áreas agrícolas e desenvolver métodos eficazes de irrigação, os egípcios conseguiram maximizar a produção de colheitas, estabelecendo um modelo para o manejo sustentável da terra.

Esse domínio da construção de sistemas de irrigação, não somente apoiou a expansão e sucesso da sociedade egípcia, mas também garantiu a segurança alimentar para o povo do império. Gerando práticas que evoluíram e são usadas até os dias de hoje em plantações ao redor do mundo.

8. Arado

Pintura egípcia apresenta uma cena de agricultura com um homem usando um arado puxado por um boi
Arado com uma junta de bois cornudos no antigo Egito. Pintura da câmara mortuária de Sennedjem, c. 1200 a.C. – O Projeto Yorck (2002) 10.000 Meisterwerke der Malerei (DVD-ROM), distribuído por DIRECTMEDIA Publishing GmbH. ISBN: 3936122202.

Apesar de não existir um consenso sobre o surgimento do arado, evidencias arqueológicas indicam que os egípcios e sumérios foram algumas das primeiras sociedades a empregar seu uso por volta de quatro mil anos atrás.

Embora existam evidências de usos de arado há mais de seis mil anos, foi apenas por volta do segundo milênio antes de Cristo que os egípcios passaram a usar as ferramentas com tração de bois.

Graças a essa evolução, o arado foi capaz de revolucionar a prática agrícola no Egito Antigo, tornando a agricultura mais acessível para os egípcios do que para muitas outras sociedades da época e facilitando a manutenção da segurança alimentar de toda a sociedade egípcia.