É consenso para a maior parte dos historiadores que o Jesus histórico tinha como língua materna o aramaico e provavelmente compreendia outros idiomas. No entanto, discussões a respeito disso são comuns, isso porque o tema é mais complicado do que parece.

Durante o século 1, na Palestina, eram faladas quatro línguas: latim, grego, hebraico e aramaico.

  • O latim era utilizado em atos político-administrativos e por autoridades romanas da época, tendo sido inscrições no idioma encontrada em Cesareia Marítima, onde residia o governador, e em Jerusalém;
  • Já o grego, desde as conquistas de Alexandre, o Grande, era tido como língua universal, assim como o inglês atualmente, sendo usado em moedas, manuscritos, trocas comerciais e em conversas com estrangeiros;
  • A utilização do hebraico era muito mais na escrita do que na fala, provavelmente as autoridades judias falavam o idioma, mas seu uso era provavelmente destinado à leitura e escrita dos textos e escrituras bíblicas;
  • No entanto, a língua falada no dia-a-dia pelo povo judeu era o aramaico.

Jesus era trilíngue

Se o povo que vivia na Palestina falava aramaico, Jesus, obviamente, conversava, pregava e ensinava em aramaico e algumas das escrituras bíblicas confirmam isso. O teólogo luterano, Joachim Jeremias, contabilizou 26 expressões idiomáticas aramaicas encontradas nos Evangelhos e em outras fontes rabínicas atribuídas a Jesus, como “Eloí, Eloí, lamà sabactàni” (Mc 15, 34) que em aramaico quer dizer “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?”

Mas, além disso, Jesus também entendia e falava um pouco de grego, visto estar em contato com a cultura grega. Não é possível dizer se ele dominava o idioma ou não, mas provavelmente compreendia um pouco e arranhava algumas palavras, sendo possível que a conversa com o Centurião, em Mateus 8, 5-13, e com Pôncio Pilatos, em João 18, 28-40, tenha sido feita em grego.

publicidade

Leia mais:

O hebraico também era uma das línguas que Jesus entendia, pois era a língua das Escrituras. Em Lucas 4, 16-30, é descrito que ele desenrola o rolo do Livro de Isaías e lê antes de iniciar sua pregação. Em outras passagens, Jesus também discute com autoridades hebraicas acerca de outras escrituras bíblicas.

Quanto ao latim, é pouco certo que Jesus entendia o idioma, visto que poucos vestígios da língua foram encontrados na Palestina, no entanto, não é possível descartar completamente essa ideia. De qualquer forma, Jesus era no mínimo trilíngue (pelo menos parcialmente).