O Discord, aplicativo de mensagens muito popular entre gamers, anunciou na quinta-feira (11) uma demissão de 170 funcionários, o equivalente a 17% de sua força de trabalho. Segundo informações do The Verge, embora a decisão siga uma tendência do mercado tech que se arrasta desde meados de 2022, a decisão foi fortemente baseada no fato de que o app ainda não conseguiu se tornar lucrativo o bastante. 

O que você precisa saber: 

  • Em memorando enviado aos funcionários, o CEO Jason Citron disse que todos os departamentos serão afetados; 
  • Ele justificou ainda que a contratação de muitas pessoas em 2020, devido à alta demanda durante a pandemia da Covid, agora tornou a empresa “menos eficiente”; 
  • Assim, as demissões chegam para a empresa realinhar seu foco, contudo, detalhes dos planos e próximos passos não foram mencionados; 
  • O Discord pontuou que continuará a fornecer pagamentos e benefícios de curto prazo aos 170 funcionários. 

Leia mais! 

Vale lembrar que, em agosto de 2023, o Discord reduziu em 4% sua força de trabalho total, demitindo cerca de 40 funcionários de diferentes áreas. Na época, a empresa explicou que os cortes faziam parte de um processo de reestruturação interna, com foco no crescimento da companhia a longo prazo. 

publicidade

A nova rodada de demissão dá continuidade a uma tendência de cortes de gastos no setor de tecnologia, na qual diversas empresas vêm demitindo milhares de trabalhadores desde 2022, com maior declínio no ano passado. 

Com este cenário, o Discord não é o único a começar 2024 com anúncio de demissão em massa. O Duolingo e Unity anunciaram que também iriam reduzir equipes. Google e a Amazon demitiram centenas de colaboradores nos primeiros 10 dias do ano. Veja detalhes aqui