É considerado vírus todo programa malicioso cuja finalidade seja roubar informações pessoais, controlar e vigiar um usuário, ou até rastrear, manipular e inutilizar um aparelho remotamente. Apesar de não serem alvos corriqueiros, os consoles de videogame com conexão à internet também podem ser vítimas de malwares. Confira, a seguir, algumas dicas de como proteger o seu console de vírus.

Leia mais:

Como um console é infectado por vírus?

Nintendo Switch (Imagem: André Fogaça/Olhar Digital)
Imagem: André Fogaça/Olhar Digital

Atualmente, há inúmeros tipos de consoles de jogos no mercado e a maioria deles possui um sistema de nuvem ou loja online, o que os obriga, necessariamente, a acessarem uma conexão com a internet. Do ponto de vista de possibilidade, qualquer sistema online pode ser dominado remotamente por pessoas não autorizadas, embora nem sempre seja uma tarefa fácil. Por isso, faz sentido que um console seja passível de infecção por vírus.

Consoles como o Nintendo Switch, que detém um browser/navegador nativo, podem acessar determinados sites online, o que aumenta a chance de contaminar o sistema com vírus. Além disso, baixar algum app suspeito na loja de jogos –– embora seja muito improvável de acontecer –– ou realizar modificações no software do console (para instalar jogos de graça ou trapacear nos games) são outras formas de submeter o produto à infecções de vírus.

Como proteger seu console de vírus

  • Caso o produto tenha acesso a um browser, evite entrar em sites suspeitos ou fora dos domínios da fabricante do console;
  • Não conecte o console a uma rede de internet pública ou suspeita;
  • Evite baixar jogos fora da loja oficial da fabricante;
  • Não altere o software do console para trapacear nos games;
  • Mantenha o sistema operacional atualizado;
  • Proteja as informações da sua conta na loja de jogos e no site da fabricante.