Um novo tratamento auditivo parece estar mostrando ser eficaz para restaurar parcialmente a audição de pacientes. Foi assim que ocorreu com uma criança de 11 anos nos EUA, ao realizar uma nova abordagem de terapia gênica. As informações chegam do Hospital Infantil da Filadélfia.

Leia mais:

Aissam Dam, o garoto marroquino que passou por quatro meses de tratamento em um dos seus ouvidos, começou a ouvir barulhos de carros na rua e a voz de seu pai após o procedimento. O garoto nasceu com uma forma rara de surdez congênita.

O procedimento ainda pode ser repetido em seu outro ouvido, o que melhoraria ainda mais sua capacidade parcial de escutar.

publicidade

Como funciona o procedimento de terapia gênica

  • A terapia gênica trabalha para substituir um gene com problemas por um funcional;
  • O tratamento pode ser usado também em outras doenças
  • O gene tratado na surdez congênita é o OTOF. Quando ele apresenta problemas, impede o cérebro de captar o som dos ouvidos;

O Hospital Infantil da Filadélfia fez a aplicação da terapia em Aissam usando gotas, em dose única. A aplicação foi na cóclea, uma cavidade encontrada no ouvido. Um vírus inofensivo transporta cópias de novos genes, esses saudáveis, que substituem os genes disfuncionais em células da cóclea.

Uma fez que o gene funcional está ativo no garoto, suas células sensoriais conseguem transmitir os sinais de audição captados para o cérebro, o que deve acontecer normalmente com pessoas que não possuem deficiência auditiva.

“Embora a terapia genética que realizamos em nosso paciente tenha sido para corrigir uma anormalidade em um gene muito raro, esses estudos podem abrir a porta para o uso futuro em alguns dos mais de 150 outros genes que causam perda auditiva na infância”, aposta John A. Germiller, cirurgião hospital da Filadélfia.