A Disney repete a Netflix e vai começar a proibir o compartilhamento de senhas em seus serviços de streaming nos Estados Unidos.

A medida já havia sido implantada no Canadá no fim do ano passado – e deve ser expandida para o restante do mundo ainda em 2024, segundo o CEO Bob Iger.

Leia mais

O anúncio aos americanos ocorreu por e-mail. Assinantes do Hulu receberam um comunicado na última quarta-feira (31) dizendo que a empresa começará a “adicionar limitações ao compartilhamento de sua conta fora de sua casa” a partir de 14 de março.

publicidade

Além do Hulu, a Disney possui ainda as plataformas de streaming Disney+ e ESPN+.

O novo contrato de usuário deixa a mudança em termos claros:

“Você concorda em não se passar por ou deturpar sua afiliação com qualquer pessoa ou entidade, inclusive usando o nome de usuário, senha ou outras informações da conta de outra pessoa, ou o nome ou imagem de outra pessoa, ou fornecer detalhes falsos de um dos pais ou responsável”.

Os acordos de usuário dizem que a empresa pode analisar as contas dos usuários para garantir que cumpram as regras de compartilhamento de senhas.

Os infratores dos termos poderão ter suas contas limitadas ou encerradas.

Nos passos da Netflix

  • A mudança adotada pela Disney ocorre após uma experiência bem-sucedida da rival Netflix.
  • A medida, que foi amplamente criticada nas primeiras semanas, acabou sendo “perdoada” pelos usuários.
  • Tanto que a proibição ao compartilhamento de senhas levou a uma explosão de novos assinantes.
  • Para não ficar sem o serviço, as pessoas ou criaram uma conta nova ou passaram a pagar uma taxa extra por novos pontos fora de casa.
  • Na semana passada, a Netflix anunciou um novo recorde no número de assinantes.
  • Foram 13 milhões de adesões somente no último trimestre do ano passado.
  • Trata-se do maior número em um único trimestre desde o auge da pandemia.

E como fica o Brasil?

Ainda não há nenhuma informação específica e confirmada sobre as plataformas Disney aqui no Brasil.

A mudança, no entanto, é certa – só não sabemos ainda a data exata. Podemos afirmar isso com segurança levando como base as últimas declarações do CEO da Disney, Bob Iger.

Em agosto do ano passado, ele afirmou que a empresa planeja resolver a questão do compartilhamento de senhas até o fim de 2024.

“Certamente estabelecemos isso como uma prioridade real. Na verdade, acreditamos que existe uma oportunidade aqui para nos ajudar a expandir nossos negócios”, disse Iger na teleconferência de resultados do terceiro trimestre de 2023.

A próxima teleconferência da Disney está marcada para 7 de fevereiro, quando Iger deve dar novas informações sobre o assunto.

As informações são da CNN.