De acordo com queixa apresentada no Tribunal Superior do Condado de San Joaquin, na Califórnia (EUA), a Tesla está sendo processada por manuseio incorreto de resíduos perigosos em instalações de todo o estado. Segundo informações do Engadget, a ação busca penalidades civis, uma liminar que obrigue a montadora a lidar corretamente com os materiais e multa de US$ 70 mil por violação/dia. 

Para quem tem pressa: 

  • A Tesla está sendo processada por 25 condados da Califórnia por descarte incorreto de resíduos que trazem risco ao ambiente; 
  • Conforme a ação, a montadora de Elon Musk estaria rotulando e descartando materiais em estações de transferência ou aterros sanitários “não autorizados a aceitar resíduos perigosos”; 
  • Os resíduos incluem “óleos lubrificantes, fluidos de freio, baterias de chumbo-ácido, aerossóis, anticongelantes, fluidos de limpeza, propano, tinta, acetona, gás liquefeito de petróleo, adesivos e óleo diesel”; 
  • A denúncia contra a líder de elétricos nos EUA, embora ganhe holofotes agora, não é nova. Negociações acontecem desde o ano passado, mas sem sucesso. 

Leia mais! 

A Tesla está sendo investigada por promotores distritais da Califórnia sobre seu tratamento e gerenciamento de resíduos desde 2022, conforme revelou a empresa em um documento da Securities and Exchange Commission (SEC). 

publicidade

Em outubro de 2023, a empresa entrou em negociações com os condados da Califórnia sobre alterar seus processos de descarte, mas não chegaram a um acordo, resultando no novo processo.

Vale lembrar que, essa não é a primeira ação que a Tesla enfrenta no que diz respeito ao seu manuseio de resíduos. Em 2019, a companhia chegou a um acordo com a Agência de Proteção Ambiental sobre violações federais de materiais perigosos — ela concordou em gerenciar adequadamente os materiais perigosos em sua fábrica em Fremont e pagar uma multa de US$ 31 mil. 

Além disso, essa também não é a única empresa de Elon Musk que recebeu denúncias do tipo. A Neuralink, startup neurotecnológica do bilionário, também foi multada por violar as regras do Departamento de Transportes dos EUA (DOT) quanto à movimentação de materiais perigosos com risco biológico.