O que o mundo pode se tornar com o avanço das inteligências artificiais? O quanto elas podem interferir ou mudar em nossas vidas pode ser motivo tanto de curiosidade quanto de temor. Um estudo publicado no servidor de pré-impressão Arxiv, que falou com cerca de 3 mil especialistas em IA e machine learning (aprendizado de máquina), trouxe algumas respostas sobre o que podemos esperar no futuro.

Leia mais:

Vamos começar pelo lado otimista da pesquisa: a maioria dos entrevistados diz acreditar que a onda das IAs vai possibilitar avanços notáveis em domínios como a ciência, a literatura, a matemática, a música e a arquitetura, em um espaço de tempo menor do que era previsto anos atrás, antes da inteligência artificial virar realidade.

Infelizmente, nem tudo é razão para celebrar. Pois entre 38% e 51% dos entrevistados alegaram que há uma probabilidade de 10% de as IAs causarem a extinção da humanidade. 60% concordaram que as chances desse cenário trágico acontecer é de ao menos 1 em 20.

publicidade

As inteligências artificiais poderão agir sem a interferência humana?

  • É possível. Os entrevistados disseram haver ao menos 50% de chance de que as IAs façam nossas tarefas sem que a gente precise dar qualquer assistência;
  • E não fica por aí. Elas teriam capacidade de fazer melhor e de forma mais barata.
  • Inicialmente, a data prevista para isso ser realidade era 2060. Hoje, já se fala em 2047.

Outras ações bem interessantes estão previstas para serem realidade já no final da década de 2020. Por exemplo, a capacidade de gerar um vídeo de ângulos alternativos, escrever um romance best-seller ou até dobrar roupa.

Gerar música se baseando no som de artistas reais, como Taylor Swift, The Weeknd ou Ed Sheeran, sem que possa ser distinguível do artista real também será possível dentro de alguns anos, estimou a pesquisa. Não foi discutido no estudo, no entanto, a ética de uma prática como essa.

No geral, 70% dos especialistas afirmaram que, à medida que a inteligência artificial avança e se torna mais poderosa, os resultados prováveis que tiraremos serão bons, e não maus.