O Brasil está prestes a se tornar o primeiro país do mundo a oferecer uma vacina contra a dengue de forma gratuita na rede pública.

Com a chegada das primeiras doses, a previsão é que a campanha de vacinação pelo Sistema Único de Saúde (SUS) já comece agora em fevereiro.

A imunização, porém, será bastante limitada: terá como público-alvo as crianças e os adolescentes de 10 a 14 anos que moram em algumas cidades determinadas pelo governo federal.

Segundo o Ministério da Saúde, a restrição na cobertura se deve à baixa capacidade na produção do imunizante pelo laboratório japonês Takeda Pharma.

publicidade

Leia mais

Ao todo, 521 municípios serão contemplados nesta primeira leva. A previsão da pasta é que as doses adquiridas possam imunizar cerca de 3,2 milhões de pessoas ao longo de 2024.

A dengue voltou a se tornar uma preocupação de saúde pública no país, em meio à alta de casos e mortes registradas desde o ano passado.

Em 2023, o Brasil bateu o recorde de óbitos: foram 1.096. Em 2024, o número de casos registrados já é o dobro que no mesmo período do ano passado.

Entenda os critérios de distribuição

  • Segundo o Ministério da Saúde, as cidades e faixas etárias não foram escolhidas de forma aleatória.
  • A pasta afirma que seguiu critérios definidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
  • A faixa dos 10 aos 14 anos de idade foi adotada porque se trata da mais atingida pela doença, após os idosos.
  • Os maiores de 60 anos, porém, não podem tomar a vacina em razão da ausência de estudos clínicos.
  • Essa faixa dos 10 aos 14 tem, hoje, o maior número de internações no país.
  • Uma vez definida a idade, o governo se debruçou sobre os critérios geográficos.
  • Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há 13,6 milhões de pessoas dentro dessa faixa etária, mas só 3,2 milhões delas poderão ser vacinadas.
  • Diante disso, o Ministério da Saúde decidiu contemplar as cidades com mais de 100 mil habitantes e os munícipios vizinhos com casos de dengue tipo 2.
  • Com isso, o programa de vacinação vai atender apenas 521 dos mais de 5 mil municípios brasileiros.
  • Na lista, foram incluídos 16 estados e o Distrito Federal.
  • Ficaram de fora Rio Grande do Sul, Pará, Amapá, Piauí, Mato Grosso, Rondônia, Ceará, Alagoas, Sergipe e Pernambuco.
Imagem: Reprodução/Agência Brasil

Você pode acessar a lista de municípios selecionados aqui.

Doses limitadas

A vacina Qdenga foi comprada do laboratório japonês Takeda Pharma. Ao todo, vão ser entregues 6,5 milhões de doses em 2024 – 5,2 milhões foram compradas e o restante foi doado pela fabricante.

O volume, segundo a Takeda, é o limite da sua capacidade de produção. A expectativa é que em 2025 sejam entregues 2,5 milhões de doses a mais.

Lembrando que a imunização completa depende de duas doses. Ou seja, o volume de pessoas atendidas representa a metade do número de vacinas compradas.

A campanha, portanto, será bastante limitada. O governo, porém, trabalha com algumas alternativas para resolver esse problema.

A principal delas envolve um imunizante em desenvolvimento pelo Instituto Butantan. Ainda não há prazo estipulado, mas a expectativa é grande.

Com essa nova vacina nacional, a capacidade de produção aumentaria bastante, com a possibilidade de ampliar a campanha para mais faixas etárias.

Faça você a sua parte

Mesmo com a chegada da vacina, é importante deixar claro que a melhor forma de se combater a dengue é impedindo a reprodução do mosquito Aedes aegypti.

Para isso, é importante que você, cidadão comum, também ajude nessa luta – e fazendo coisas simples no dia a dia.

  • Mantenha a caixa d’água da sua residência bem fechada;
  • Não deixe água acumular em vasos de plantas ou pneus velhos;
  • Limpe bem as calhas da sua casa;
  • Esvazie sempre garrafas, potes e vasos – tudo que possa deixar água parada;
  • Não acumule sucata ou entulho;
  • Cuidado também com as piscinas sem manutenção e que são pouco utilizadas.

A Agência Brasil e o Ministério da Saúde disponibilizaram uma arte explicativa com esses gestos que você pode – e deve – adotar no combate à dengue.

A melhor forma de combater a dengue é impedir a reprodução do mosquito. Foto: Arte/EBC

As informações são do Ministério da Saúde.