A Snap, dona da rede social Snapchat, anunciou a demissão de 530 funcionários – aproximadamente 10% de sua força de trabalho global. O corte é mais um entre uma série de demissões, por exemplo: de 20% da força de trabalho em 2022 e 3% em 2023.

Para quem tem pressa:

  • A Snap, dona do Snapchat, anunciou a demissão de 530 funcionários – aproximadamente 10% de sua força de trabalho global. Este corte se soma a outras demissões anunciadas pela empresa em 2022 e 2023;
  • Sem especificar as áreas impactadas, a Snap indicou que as demissões visam aprimorar a execução de suas prioridades estratégicas e garantir investimentos e crescer no futuro;
  • A Snap enfrenta múltiplos desafios, tanto em seus projetos internos quanto externamente. De um lado, a empresa engavetou diversos projetos. De outro, iniciativas como o serviço Spotlight e a assinatura Snapchat Plus não impulsionaram o crescimento nem a receita da companhia;
  • Apesar desses contratempos e de um ambiente publicitário adverso exacerbado por regulamentações de privacidade mais rígidas, a Snap reportou um aumento na receita no terceiro trimestre de 2023;
  • Esse resultado positivo gera expectativas quanto à capacidade da empresa de se recuperar e adaptar suas estratégias para superar os desafios atuais e futuros no setor de tecnologia e mídia social.

A Snap não divulgou detalhes específicos sobre quais áreas serão afetadas pelos cortes. Mas informou que o objetivo das demissões é posicionar melhor a empresa e executar suas prioridades estratégicas, além de assegurar capacidade de investimento para o crescimento no longo prazo.

Leia mais:

Com o anúncio mais recente de cortes, a Snap se junta a outras big techs, como Amazon e Alphabet (dona do Google), a anunciar demissões em massa em 2024. De 1º de janeiro até agora, 122 empresas de tecnologia demitiram, no total, 32 mil trabalhadores.

publicidade

Obstáculos no caminho da Snap

snapchat
(Imagem: Sergei Elagin/Shutterstock)

O Snapchat ainda é o principal produto da empresa, que tenta diversificar seus serviços. A companhia apostou em drone para selfies e óculos de realidade aumentada, por exemplo. Mas ambos projetos acabaram descontinuados.

Além de projetos engavetados, iniciativas internas destinadas a impulsionar o crescimento – o serviço Spotlight, similar ao TikTok, e a assinatura Snapchat Plus – não alcançaram os resultados esperados. Esses esforços fazem parte das tentativas da Snap de expandir suas fontes de receita e engajamento do usuário.

A empresa também enfrenta desafios externos, como um mercado publicitário em contração e as restrições impostas pela Apple ao rastreamento de usuários em dispositivos iOS. Estes fatores têm impactado negativamente o modelo de negócios baseado em publicidade da Snap, bem como de outras empresas de tecnologia e mídia social.

Apesar desses desafios, a Snap registrou um aumento na receita no terceiro trimestre de 2023, após dois trimestres consecutivos de queda. Agora, a empresa se prepara para divulgar os resultados do quarto trimestre. E o mercado está atento à sua capacidade de recuperação.