O Programa Universidade para Todos (Prouni) divulgou nesta terça-feira (06) as listas de candidatos pré-selecionados para vagas em instituições de ensino superior privadas. Poucos minutos depois, usuários já enfrentavam instabilidades no site do programa.

Leia mais:

Instabilidade no Prouni

Os resultados foram divulgados às 15h. Cerca de cinco minutos depois, o site havia saído do ar para a maior parte dos candidatos.

Durante a tarde, os usuários ainda fizeram registros em redes sociais mostrando que a plataforma apresentava uma mensagem de “sistema em manutenção”. Alguns ainda mostraram o layout do site desconfigurado.

publicidade

O Olhar Digital entrou em contato com o Ministério da Educação questionando sobre as instabilidades e a previsão de normalização, mas a pasta não se posicionou sobre o problema, dando informações apenas sobre os resultados da edição.

Veja relatos:

Prouni

  • Com o Prouni, jovens de baixa renda podem usar a nota do Enem para pleitear bolsas de estudo parciais e integrais em instituições de ensino superior privadas.
  • Devido a instabilidades no sistema do Sisu (o Olhar Digital reportou aqui), as inscrições foram adiadas em um dia, terminando em 2 de fevereiro.
  • Nesta terça-feira, o sistema divulgou as listas de pré-selecionados. Isso porque, depois da seleção, os candidatos ainda passarão por outras etapas, como a verificação de documentos e a formação de turmas (é necessário ter um número mínimo de matriculados no curso para o aluno ser aprovado).
  • Quem não foi selecionado na primeira chamada ainda tem chance na segunda chamada, que será divulgada em 27 de fevereiro.
  • Caso não seja aprovado, o candidato pode manifestar interesse na lista de espera, onde as instituições convocam alunos para preencher bolsas não ocupadas.
Logo do Prouni
Imagem: Divulgação/Prouni

Quem pode participar

Pode participar do Prouni candidatos que:

  • Realizaram o Enem 2022 ou 2023 com média mínima de 450 e nota superior a zero na redação;
  • Cursaram o ensino médio em escola pública ou privada, sem diploma de educação superior; ou são pessoas com deficiência; ou são professores da rede pública de ensino;
  • Têm renda familiar bruta mensal per capita de até um salário mínimo e meio (R$ 2.118 por pessoa), para a bolsa integral, ou de três salários mínimos (R$ 4.236 por pessoa) para a bolsa parcial.