O Reino Unido anunciou nesta terça-feira (6) que gastará mais de US$ 125 milhões (100 milhões de libras ou aproximadamente R$ 623 milhões em conversão atual) para lançar novos centros de pesquisa em inteligência artificial (IA) e treinar reguladores sobre a tecnologia. O anúncio, conforme a Reuters, vem após a União Europeia (UE) chegar finalmente a um acordo sobre a leia da IA. 

Para quem tem pressa: 

  • Serão nove centros de pesquisas que se concentrarão no uso de IA em áreas como saúde, química e matemática; 
  • Haverá também uma parceria com os Estados Unidos para IA responsável; 
  • Das 100 milhões de libras, a Grã-Bretanha disse que espera usar 90 milhões para os centros e os outros 10 milhões no desenvolvimento dos reguladores; 
  • A ideia, segundo o governo, é ajudá-los a enfrentar os riscos e a aproveitar as oportunidades da IA, tais como o desenvolvimento e manuseio de ferramentas práticas para monitorizar os riscos em setores que vão das telecomunicações e da saúde às finanças e à educação. 

Leia mais! 

A IA está se movendo rapidamente, mas mostramos que os humanos podem se mover com a mesma rapidez. Ao adotarmos uma abordagem ágil e específica ao setor, começamos a assumir os riscos imediatamente. 

Michelle Donelan, ministra da Tecnologia, em comunicado.

A notícia chega logo após a UE chegar a um acordo, entre seus países-membros, sobre a Lei de IA no território. Prevista para ser ratificada em abril pelo Parlamento Europeu, a legislação vai: banir alguns usos da tecnologia, limitar o uso em casos de alto risco e exigir transparência e testes de funcionamento em modelos mais avançados. Saiba detalhes aqui

publicidade

O investimento do bloco e o desentrave na nova lei já era esperado, visto que o país tem se mostrado pioneiro no que diz respeito à IA, principalmente na regulamentação da tecnologia. 

Em novembro do ano passado, o Reino Unido sediou a primeira a cúpula global de segurança sobre os riscos da IA. Na ocasião, China, Estados Unidos e União Europeia concordaram em trabalhar juntos — mais de 25 países estavam presentes e assinaram a Declaração de Bletchley afirmando que trabalhariam juntos para estabelecer uma abordagem segura em relação à IA. 

Segundo Donelan, na época, reunir tantos atores importantes a nível mundial em uma única sala foi um feito e tanto.