Dando início à “turnê mensal” de fevereiro pelos planetas do Sistema Solar, a Lua terá quase um encontro duplo com Vênus e Marte esta semana. Isso porque o intervalo entre essas aproximações será de menos de 12 horas. (Todos os horários mencionados estão no fuso de Brasília).

O primeiro evento será a conjunção da Lua com Vênus, às 15h52 desta quarta-feira (7). Já a conjunção com Marte acontece no dia seguinte, às 3h31 da madrugada. Usa-se o termo conjunção astronômica quando dois corpos compartilham a mesma ascensão reta (coordenada astronômica equivalente à longitude terrestre) no céu.

Configuração do céu no momento de aproximação máxima entre a Lua e Vênus (do ponto de vista da Terra) nesta quarta-feira (7). Crédito: SolarSystemScope

Em ambos os casos, os pares não estarão visíveis no céu no momento da aproximação máxima entre os membros. No primeiro, porque os objetos envolvidos estarão ofuscados pela luz solar da tarde. No segundo, porque os protagonistas estarão posicionados abaixo da linha do horizonte. Tanto o satélite natural da Terra quanto Vênus e Marte estarão passando pela constelação de Sagitário.

Configuração do céu no momento de aproximação máxima entre a Lua e Marte (do ponto de vista da Terra) nesta quinta-feira (8). Crédito: SolarSystemScope

Leia mais:

publicidade

Lua se aproxima do Sol

Segundo o guia de observação astronômica InTheSky.org, no sábado (10), às 10h46, a Lua alcançará o periélio, que é o ponto de sua órbita mais próximo do Sol – a 0,9841 unidades astronômicas (UA) (algo em torno de 150 milhões de km). Cerca de nove horas mais tarde, ela estará em nova conjunção astronômica, desta vez com Mercúrio.

Os próximos planetas a receber a “visita” da Lua neste mês serão Saturno (10) e Júpiter (15). Essa série de conjunções mensais ocorre porque a Lua orbita a Terra aproximadamente no mesmo plano em que os planetas orbitam o Sol, chamado plano da eclíptica.