Nem sempre é fácil encontrar uma área grande e plana, seja no solo ou em telhados, onde os painéis solares possam ser instalados em um ângulo que permita que eles absorvam a luz do sol. Além disso, encontrar espaço em terra pode ser muito concorrido e caro.

Por esse motivo, entre muitos outros, os cientistas criaram uma nova maneira de incentivar o cultivo da energia solar. A solução vem na forma de painéis solares instalados na superfície de lagos, reservatórios, lagoas industriais ou áreas próximas à costa.

Leia também:

O que é uma usina solar flutuante e quais as vantagens?

Usina solar flutuante (Imagem: Laketricity/reprodução)
Usina solar flutuante (Imagem: Laketricity/reprodução)

Bem, o nome já diz tudo: uma usina solar flutuante consiste em painéis solares que flutuam em um corpo de água. Em geral, eles são projetados da mesma forma que os sistemas solares tradicionais, o que significa que toda a mesma tecnologia de energia solar é simplesmente acoplada a uma série de flutuadores de polietileno para manter os painéis acima da água.

publicidade

Uma usina de energia solar flutuante compreende o módulo solar e o corpo de flutuação em material anti ferrugem. O módulo solar deve ser resistente à umidade, sem chumbo, à prova de poeira e resistente aos efeitos de jatos de água transitórios. 

Amarras são usadas para evitar que os painéis se desloquem e para garantir que eles fiquem inclinados em direção ao sol. Essas amarras também facilitam o arrastamento dos painéis solares para uma nova posição se, por exemplo, o mau tempo tornar a água agitada ou o nível da superfície da água mudar. E então a eletricidade produzida é enviada a uma torre de transmissão por meio de fios subaquáticos.

Usina solar flutuante em Portugal (Imagem: Electrek/reprodução)
Usina solar flutuante em Portugal (Imagem: Electrek/reprodução)

De modo geral, é necessário muito espaço para gerar energia solar em grande escala. Entretanto, a energia solar pode ser exponencialmente mais sustentável do que os combustíveis fósseis. Como os sistemas solares geram mais energia quando são colocados em trechos amplos e planos, os sistemas solares flutuantes podem ser a solução perfeita para esse problema.

Há vários outros motivos pelos quais a água pode ser a melhor opção para usinas solares. Por exemplo, mesmo em áreas com muita terra disponível, as pessoas não ficam necessariamente entusiasmadas com o desenvolvimento da energia solar. Isso se deve ao fato de que a terra pode ser usada para outros fins mais práticos, como agricultura, construção ou simplesmente preservação ambiental.

Além disso, embora possa parecer contra intuitivo, os painéis solares de fato funcionam melhor em temperaturas mais baixas. Isso significa que a maioria dos sistemas solares precisa encontrar um equilíbrio entre manter-se frio e captar o máximo de sol possível. Portanto, a flutuação em um grande corpo de água ajuda a resfriar os painéis, aumentando sua eficiência.

Usina solar flutuantena China (Imagem: REX via Shuttestock/CC)
Usina solar flutuantena China (Imagem: REX via Shuttestock/CC)

Ademais, ao impedir que o sol atinja a superfície da água, os painéis solares flutuantes reduzem a quantidade de evaporação em lagos e reservatórios. A perda de água devido à evaporação pode se acumular com o tempo e levar à escassez. Portanto, esse é um benefício ambiental significativo da energia solar em locais que são mais suscetíveis a secas.

Atualmente, quase todos os parques solares flutuantes estão localizados em corpos d’água artificiais, como reservatórios, lagoas de armazenamento de águas residuais e lagoas de irrigação agrícola. É mais provável que corpos d’água criados pelo homem sejam regulamentados e tenham infraestrutura existente, o que torna a instalação e a manutenção mais convenientes e econômicas.