Astrônomos realizaram uma descoberta incrível ao espiar um buraco negro supermassivo em ação nas proximidades da Terra. Localizado no centro da radiogaláxia 3C84 (também conhecida como Perseu A), o monstro cósmico está expelindo jatos de matéria quase à velocidade da luz

Essas observações revelam um paralelo entre magnetismo e gravidade, oferecendo insights valiosos sobre como os buracos negros se alimentam e lançam jatos poderosos para além de suas galáxias hospedeiras.

Utilizando o Event Horizon Telescope (EHT), um conjunto global de antenas de rádio interconectadas, os cientistas obtiveram imagens inéditas do coração de Perseu A, a apenas 230 milhões de anos-luz da Terra – uma distância relativamente curta em proporções astronômicas.

O zoom em Perseu A com o Event Horizon Telescope (EHT) revela detalhes do poderoso jato que o buraco negro central dessa galáxia está lançando. Crédito: Georgios Filippos Paraschos (MPIfR)

Polarização ao redor de buraco negro revela presença de campo magnético

Segundo os autores da nova pesquisa, a radiogaláxia 3C84, rica em ondas de rádio, apresenta desafios únicos para a detecção precisa da polarização da luz em torno do buraco negro central.

publicidade

As observações dessa polarização pelo EHT sugerem a presença de um campo magnético bem ordenado nas proximidades do objeto. Esse magnetismo demonstra sua influência ao vencer a intensa gravidade do buraco negro, estimado em 40 milhões de vezes a massa do Sol, lançando jatos a altas velocidades.

Leia mais:

A pesquisa evidencia que esse campo magnético ordenado permeia o gás aquecido ao redor donúcleo galáctico, o que pode fornecer novas pistas sobre o processo de formação desses jatos.

Esses dados recentes do EHT também sugerem uma conexão entre a rápida rotação do buraco negro de Perseu A e seu disco circundante preso magneticamente. Essa descoberta levanta a possibilidade de que a velocidade de rotação de um buraco negro esteja ligada à sua capacidade de lançar jatos poderosos.

Origem dos jatos permanece em segredo

Diante dessa fascinante descoberta, uma pergunta intrigante persiste: por que os buracos negros produzem jatos tão poderosos? Investigações adicionais, combinadas com a aplicação da Teoria da Relatividade Geral de Einstein, podem fornecer respostas a essa questão há muito tempo debatida.

Utilizando a técnica de interferometria de linha de base muito longa (VLBI), o EHT reuniu sinais de telescópios em todo o mundo para criar uma imagem detalhada do núcleo de Perseu A e seus jatos. Essa abordagem inovadora permite uma visão mais aprofundada dos fenômenos astrofísicos.

Os resultados dessas observações foram publicados este mês na revista científica Astronomy and Astrophysics, representando um passo significativo em direção à compreensão de galáxias como a 3C84, e incentivando esforços internacionais para aprimorar as capacidades do EHT.