Os animais têm diferentes técnicas para lidar com as condições apresentadas pelos longos e congelantes períodos de inverno, que vão desde dormir até desligar funções menos essenciais do corpo, a fim de poupar energia. Mas, qual é a diferença entre a hibernação de fato e o torpor? E existem outros métodos? Vamos descobrir.

O que é a hibernação?

  • A hibernação acontece quando os animais, por dificuldades de encontrar comida, entram em um estado de sono profundo no qual os processos do corpo ficam extremamente lentos, como a frequência cardíaca e a respiração;
  • Esses animais também reduzem drasticamente a sua taxa metabólica para poupar energia e sobrevivem usando reservas de gordura que acumularam durante o outono;
  • Os animais parecem quase mortos nesse estado, isso porque resfriam suas temperaturas corporais;
  • Entre os animais que hibernam, estão algumas espécies de roedores, pássaros, morcegos e lêmures.

O que é o torpor?

  • O torpor é bastante parecido com a hibernação, pois nesse estado os animais também reduzem sua respiração, frequência cardíaca e o metabolismo;
  • No entanto, o torpor não dura tanto tempo quanto a hibernação, sendo mais fácil para os animais entrarem e saírem desse estado e podendo até mesmo acontecer todos os dias;
  • Outra diferença é que o torpor não causa um efeito tão drástico na temperatura interna do corpo dos animais;
  • Esse truque é geralmente utilizado por animais endotérmicos que vivem em áreas áridas.
Esquilo Oriental hibernando. Crédito: Breck P. Kent – Shutterstock

Brumação e estivação

Além da hibernação e do torpor, existem outros truques usados pelos animais para sobreviverem a condições climáticas adversas, mas que são menos conhecidos. A brumação e a estivação são dois desses processos.

De acordo com o IFLScience, a brumação é mais comum em répteis e anfíbios. Nessa técnica, os animais também reduzem a respiração e a taxa metabólica, e apesar de não comerem, ainda bebem. Além disso, eles também não entram em um estado de sono tão profundo.

Já a estivação, diferente dos outros processos que estão mais relacionados às temperaturas frias, está ligada a condições de estiagem. O método é observado com mais frequência em peixes e invertebrados, ajudando esses animais a não secarem quando não há tanta água. Nesse processo, a taxa metabólica também é reduzida, mas esse estado pode terminar rapidamente quando as condições climáticas melhoram.

publicidade

Leia mais:

Os ursos hibernam? E os humanos podem fazer o mesmo?

Os ursos são frequentemente associados ao processo de hibernação durante o inverno, no entanto, os pesquisadores acreditam que esse não é bem o caso. Esses grandes mamíferos são mais propensos ao torpor, isso porque, apesar da taxa metabólica desses animais ser bastante reduzida, sua temperatura corporal não cai.

Vídeo que ficou famoso no ano passado mostrando uma ursa do Himalaia despertando de uma possível “hibernação”, que, na verdade, era um estado de torpor

Já os humanos, apesar de poderem entrar em estado de sono profundo, como em comas induzidos por medicamentos, não podem verdadeiramente entrar em hibernação. Apesar disso, esses truques dos animais para sobreviver a mudanças adversas têm sido estudado pela NASA para aplicação em viagens espaciais de longa distância.