Um escândalo envolvendo marcas de luxo do Grupo Volkswagen eclodiu nos Estados Unidos. Audi, Bentley e Porsche tiveram vários de seus modelos apreendidos devido ao uso de peças ilegais na fabricação dos veículos. As informações são do Financial Times.

Leia mais:

O Grupo Volkswagen alega que não sabia do problema. As informações são de que um componente que saiu da China foi usado na fabricação dos modelos de luxo. Até aí, tudo bem.

Conforme uma determinação da Justiça estadunidense, está firmado desde 2021 através da Lei de Prevenção ao Trabalho Forçado que, qualquer componente produzido na região de Xinjiang, onde não haveria respeito às leis trabalhistas, não pode ser importado para os EUA.

publicidade

Os modelos estão neste momento parados nos portos americanos, sem poder entrar para o mercado local. Cerca de 1.000 SUVs esportivos da Porsche estão entre os modelos bloqueados judicialmente, assim como centenas de unidades da Bentley e milhares de carros da Audi.

Grupo Volkswagen vai ajudar na investigação

  • Além de alegar que não sabia da origem do componente dos modelos de luxo, a Volkswagen se colocou à disposição para atuar junto das autoridades dos Estados Unidos para que a investigação seja concluída rapidamente.
  • O plano da montadora é resolver logo o problema, para realizar a substituição do componente eletrônico; assim, conseguiria liberar os carros apreendidos para entrar nos EUA e serem comercializados.
  • A Volkswagen também declarou que não descarta “o término de um relacionamento com fornecedor se as investigações confirmarem violações graves”.
  • A postura da empresa é de não tolerar violações dos direitos humanos e qualquer indício de trabalho forçado.