Uma rara tempestade tropical se formou na costa do litoral sul do Brasil. O fenômeno batizado pela Marinha do Brasil como Akará começou a ganhar força no último final de semana, segundo as informações da MetSul, superando a classificação de depressão subtropical nesta segunda-feira (19).

Imagens captadas pelo satélite Aqua da NASA foram divulgadas quando o centro da tempestade estava a cerca de 900 quilômetros a sudeste de São Paulo:

publicidade
Tempestade Akará
Imagem: NOAA/NASA
Tempestade Akará
Imagem: NOAA/NASA
Tempestade Akará
Imagem: NOAA/NASA

Leia mais:

Ciclones tropicais no Atlântico Sul

Vale destacar que ciclones tropicais são raros no Atlântico Sul. Em 2004, outro ciclone tropical se formou na mesma região e acabou atingindo o estado de Santa Catarina. O Centro Nacional de Furacões de Miami chegou a categorizar a tempestade como um furacão de categoria I (o “Catarina“).

publicidade

Desde 2015, outras três tempestades tropicais foram registradas na costa do Brasil: a Iba em 2019, a 01Q em 2021 e a Akará, em fevereiro de 2024.

Segundo o Yale Climate Connections, as altas temperaturas da superfície do mar provavelmente contribuíram para a formação da tempestade: “As temperaturas da superfície do mar próximo de Akará na segunda-feira (19) eram cerca de 0,5 graus Celsius mais altas que a média, em torno de 26 graus Celsius.”

O que esperar da tempestade

  • A tempestade Akará ganhou força nesta segunda-feira (19) posicionada em alto-mar entre o litoral norte do Rio Grande do Sul e litoral sul de Santa Catarina;
  • Não são esperados impactos em terra. Apenas ondas mais fortes vão ocorrer ao longo da costa sul até o estado do Rio de Janeiro.
  • A análise da MetSul Meteorologia aponta que a tempestade avançará esta semana a leste do litoral sul do Brasil em mar aberto.
  • As previsões mostram que o fenômeno perderá força à medida que se dirige para o sul sobre águas mais frias.