Você já pensou em comprar um Mecides? Sim, um Mecides. Não, eu não digitei errado. O nome é esse mesmo…

Dez entre dez pessoas acharam que eu estava falando da alemã Mercedes, uma das principais marcas de carros de luxo do mundo. E o objetivo era justamente esse: confundir.

Essa é a estratégia adotada pela Mecides, uma fabricante chinesa que começou a viralizar nas redes sociais justamente por trazer cópias descaradas de outras marcas famosas.

Leia mais

publicidade

Para quem não entende nada de carro, os modelos podem até enganar um pouco. Mas é só olhar as rodas para perceber que esses veículos não têm nada a ver com os originais.

As coisas pioram internamente. Os Mecides possuem apenas um motor elétrico fraco de 14 cv ou 27 cv, o que garante até 70 km/h de velocidade. A marca chinesa fala em autonomia de até 700 quilômetros sem precisar recarregar a bateria, mas eu não coloco a mão no fogo por essa informação…

Alguns exemplos

  • Olha essa “belezinha” aqui:
  • O modelo tenta copiar o design do Maserati Grecale, mas ficou bem diferente do original (foto abaixo).
Imagem: Divulgação/Maserati
  • Não vou nem falar das especificações técnicas – até porque a marca chinesa mantém esses detalhes em sigilo.
  • Mas posso falar do preço: enquanto o Mecides custa US$ 5.000, o italiano sai por 111 mil euros (R$ 612 mil) – nesse aspecto, admito, o chinês é bem mais atrativo…
  • A lista de cópias é gigantesca: temos réplicas de Porsches, como o Cayenne e o Macan…
  • Temos também carros que seguem a linha de Aston Martin DBX…
  • Já o modelo Mecides MBJD é inspirado no Bugatti 16C Galibier Concept 2009.
  • Nem mesmo os compatriotas foram poupados pela Mecides, com réplicas de BYD Dolphin e Saic GM Wuling Bingo.

Você pode ver o portfólio completo deles no Instagram oficial: @Mecides_

Se tiver interesse – e coragem -, eles colocam até um número de Whatsapp para contato.

A indústria chinesa séria

Não, você não vai ler nenhum comentário xenofóbico neste texto. Até porque a China é uma das maiores economias do mundo e o principal parceiro comercial do Brasil – e isso sem tomar nenhum partido. É no governo Lula e já era o principal parceiro no governo Bolsonaro.

A China tem milhares de empresas sérias – e muitas delas atuam no ramo automobilístico inclusive. A BYD, por exemplo, é um fenômeno de vendas no mundo todo, tendo batido recentemente a Tesla na comercialização de veículos elétricos, no último trimestre do ano passado.

A mesma BYD vai aumentar os investimentos no Brasil: já injetou R$ 3 bilhões e a previsão é que a fábrica em Camaçari, na Bahia, gere mais de 10 mil empregos diretos nos próximos anos.

Ok, a tal Mecides nasceu uma piada pronta, que pode ser amplamente criticada, além de alvo de vários departamentos jurídicos das grandes montadoras. Mas ela é uma só. Não podemos generalizar.

As informações são do UOL.