Recentemente, a Sony havia informado que vendeu menos unidades do PlayStation 5 em 2023 e que esperava que as vendas continuassem fracas até março de 2025. Agora, a empresa anunciou que está demitindo cerca de 900 funcionários, uma redução de cerca de 8% da sua força de trabalho global.

Leia mais

Os cortes acontecerão apenas na divisão de PlayStation e afetarão funcionários nas Américas, Japão e regiões da Europa, Oriente Médio e África e da Ásia-Pacífico. Além das demissões, a empresa está fechando um estúdio de Londres, no Reino Unido, que desenvolvia jogos PlayStation VR. Os desligamentos também afetarão o estúdio Firesprite da Sony, responsável pelo jogo Horizon Call of the Mountain.

Segunda a empresa, a situação econômica atual deixou claro que “mudanças precisam ser feitas para continuar a expandir o negócio e desenvolver a empresa”. A companhia ainda disse que teve que “dar um passo atrás, olhar para o negócio e seguir em frente focando na sustentabilidade de longo prazo da empresa e entregando as melhores experiências possíveis para a comunidade”.

Além das demissões, a Sony está fechando um estúdio de Londres (Imagem: Natanael Ginting/Shutterstock)

Fraco resultado do PlayStation 5

  • O anúncio das demissões ocorre poucos dias depois da Sony informar que não atingiu a meta de vendas do PS5, o que levou o preço das ações da empresa a despencar, gerando um prejuízo de US$ 10 bilhões (cerca de R$ 50 bilhões) em poucas horas.
  • Os cortes de funcionários da Sony são os mais recentes de uma onda que vem impactando as indústrias de jogos e tecnologia em 2024.
  • A Microsoft, por exemplo, demitiu 1.900 funcionários da Activision Blizzard e do Xbox no mês passado, cerca de 8% da divisão geral da Microsoft Gaming. 
  • A Unity também desligou 25% de sua força de trabalho no mês passado, enquanto o Discord demitiu 17% de seus funcionários.
  • As informações são da The Verge.