A NASA vai usar tecnologia de pequenos painéis solares para fornecer energia de baixo custo a espaçonaves em órbita. Os painéis são leves e ocupam pouco espaço, podendo gerar até três vezes mais energia do que outras opções fotovoltaicas. A tecnologia também já foi testada anteriormente, inclusive em estação espacial da agência.

Leia mais:

Missão da NASA com novas tecnologias

A iniciativa, chamada de missão Lightweight Integrated Solar Array and anTenna (LISA-T), é a quarta da série Pathfinder Technology Demonstrator (PTD) da NASA, que implementa novas tecnologias em pequenas espaçonaves em órbita.

Já os painéis solares são da empresa Ascent Solar Technologies, que prometem “grande potência para pequenas espaçonaves”. Veja mais informações:

publicidade
  • Segundo o Electrek, os painéis solares são leves, ocupam pouco espaço quando embalados e produzem três vezes mais energia do que outras opções semelhantes;
  • A estrutura é armazenada na nave durante o lançamento, mas implantada em órbita;
  • Apesar do tamanho compacto, as matrizes de produção podem aumentar de acordo com a missão, com opções podendo gerar quilowatts de energia para pequenas naves.

Painéis solares usados na missão da NASA (Imagem: Reprodução/Ascent Solar Technologies)

Painéis solares nas espaçonaves

Os painéis solares usados na missão são da linha Titan, da Ascent Solar Technologies, anunciados em novembro do ano passado como estrutura otimizada para ambientes espaciais. Já neste ano, a empresa divulgou eficiência de 17,55%. O módulo do painel tem 30 cm² de tamanho, 10 gramas e potência de 17 W.

Antes da missão atual, a tecnologia fotovoltaica para pequenas naves foi testada na Estação Espacial Internacional de Materiais da NASA (MISSE-X), com estrutura de seleneto de cobre, índio e gálio com durabilidade no espaço.

Outros módulos da empresa estão programados para serem avaliados em missões teste da SpaceX, em março.