As autoridades brasileiras estão reforçando os trabalhos de combate ao Aedes aegypti em função do crescente número de casos de dengue no país. Fernando de Noronha é um dos locais monitorados. Por lá, os agentes de combate às endemias fizeram uma descoberta preocupante: o mosquito está se reproduzindo em água salobra.

Leia mais

Focos do mosquito da dengue foram encontrados em vários pontos de Fernando de Noronha (Imagem: Alexandree/Shutterstock)

Novo alerta sobre o avanço da dengue no Brasil

O fato chamou a atenção de especialistas, uma vez que estudos indicam que o Aedes aegypti não é capaz de se reproduzir em água salgada. O fenômeno foi identificado no Porto de Santo Antônio, onde há uma grande a quantidade de barcos, canoas e caiaques.

Muitos barcos são colocados no porto com água salgada. Essas embarcações acumulam água da chuva. Com isso, a água fica salobra, e nós encontramos larvas do mosquito Aedes aegypti em muitos barcos.

Guilherme Santos, gerente de Vigilância em Saúde da Administração da Ilha de Fernando de Noronha

Para combater o transmissor, os técnicos estão aplicando larvicida biológico em pó e também usando o pulverizador. Mosquitos adultos também foram identificados no local. Além disso, focos foram encontrados em quintais de residências de vários bairros da ilha. Por isso, as autoridades estão pedindo a colaboração dos moradores.

publicidade

A Superintendência de Saúde da Administração de Fernando de Noronha informou, por meio de nota, que em 2024 já foram notificados oito casos prováveis de dengue. As informações são do G1.

Mosquito da dengue (Imagem: Vinicius R. Souza/Shutterstock)

Mais de um milhão de casos

  • Segundo o mais recente balanço divulgado pelo painel de Monitoramento das Arboviroses, do Ministério da Saúde, o Brasil já superou a marca de um milhão de casos da doença em 2024.
  • No total, são 1.017.278 casos prováveis e 214 mortes confirmadas desde o início do ano. Outras 687 óbitos estão em investigação. 
  • O coeficiente de incidência da dengue no país, neste momento, é de 501 para cada grupo de 100 mil habitantes. 
  • Entre os diagnósticos prováveis, 55,4% são de mulheres e 44,6% de homens. 
  • A faixa etária dos 30 aos 39 anos segue respondendo pelo maior número de ocorrências, seguida pelo grupo de 40 a 49 anos e de 50 a 59 anos.
  • Acre, Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina, Rio de Janeiro e o Distrito Federal, além de 154 municípios, já decretaram situação de emergência por causa da dengue.
  • Minas Gerais lidera em número de casos prováveis (352.036).
  • O estado registra 34 mortes pela doença.