Em entrevista à BBC, o cofundador e chefe da DeepMind (empresa do Google), Demis Hassabis, defendeu que os pais devem encorajar o uso criativo dos videogames por seus filhos, incluindo programação no computador.

Hassabis afirmou que os jogos o ajudaram a ser bem-sucedido. “É importante estimular a parte criativa, não apenas jogar”, disse.

publicidade

Leia mais:

“Você nunca sabe onde as paixões podem te levar, então eu apenas encorajaria os pais a deixarem seus filhos realmente apaixonados pelas coisas e, então, desenvolverem habilidades por meio disso”, prosseguiu.

publicidade

O líder da DeepMind crê que as crianças precisam estar prontas para adaptarem-se a “mundo em rápida mudança” e “abraçar essa adaptabilidade”.

Hassabis e os videogames

  • Hassabis foi uma criança prodígio no xadrez;
  • Ele chegou a projetar e programar, na adolescência, um jogo multimilionário chamado “Theme Park”;
  • Após se formar na Universidade de Cambridge, ele fundou empresa de videogames, completou doutorado em neurociência e cofundou a DeepMind em 2010, que, depois, foi vendida ao Google;
  • Na quinta-feira (28), ele postou no X estar “encantado” por receber o título de cavaleiro britânico por seus esforços em inteligência artificial (IA);
  • À BBC, Hassabis indicou que o título de cavaleiro foi o reconhecimento do que ele e sua equipe realizaram para “semear todo o campo e a indústria da IA”.

publicidade
Demis Hassabis (Imagem: Debby Wong/Shutterstock)

Sobre a venda da DeepMind em 2014, Hassabis diz não se arrepender por considerar, até hoje, o Google, a empresa certa para isso, além de ter poder computacional suficiente para isso.

“À época, não havia capacidade no Reino Unido para angariar as centenas de milhões de dólares que seriam necessários para assumir as coisas do ponto de vista global”, pontuou.

publicidade

Em 2023, o primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak realizou a primeira conferência sobre segurança da IA. No evento, Hassabis assinou declaração que afirma que “mitigar o risco de extinção por causa da IA deveria ser uma prioridade global, juntamente com outros riscos, como as pandemias e a guerra nuclear”.

O evento e a declaração são parte de esforços de vários legisladores e alguns magnatas da indústria que temem que a IA possa ser cada vez mais usada para o mal, para além das deepfakes, vídeos falsos e clonagem de voz.

Sobre o tema, Hassabis indicou ao editor de negócios da BBC, Simon Jack, afirmou que não se enxerga como um Robert Oppenheimer, criador da bomba atômica.

Em sua visão, os cientistas da atual geração está ciente dos “alertas” acerca do poder da tecnologia e “os riscos”envolvidos se o poder não for “administrado de forma correta”.

Ele também entende que a IA tem “impacto positivo inacreditável” que é “mais amplo que o [poder] nuclear”.