Que comer alimentos frescos é mais saudável e gostoso todo mundo sabe. Mas a grande dúvida da maioria das pessoas é: como armazená-los? O que posso fazer para que as frutas e verduras durem mais?

Leia mais

publicidade

Eu não sei vocês, mas vira e mexe as redes sociais me entregam vídeos com dicas sobre o assunto. O algoritmo percebeu que eu me interessava por isso e começaram a aparecer os mais diferentes perfis.

Tem aquela fórmula mágica que passou para trocentas gerações da família, tem o marombeiro de academia e até o bonitão das receitas. Mas, afinal, o que a ciência diz sobre tudo isso?

publicidade

O site gringo Science Alert trouxe uma avaliação do professor Senaka Ranadheera, da Universidade de Melbourne, na Austrália. E ele nos faz alguns esclarecimentos.

Algumas considerações

  • A primeira coisa que o professor explica é que o frescor e a qualidade não dependem somente do nosso armazenamento.
  • Segundo ele, fatores pré-colheita são determinantes, como o tipo do solo e as condições climáticas.
  • Se o alimento não crescer em condições favoráveis, ele tende a durar menos.
  • Outro fator importante é o transporte e a distribuição até chegar à sua casa.
  • Mas isso a gente não controla – e devemos aceitar (ou procurar alguém de confiança).
Fatores pré-colheita influenciam bastante na qualidade do alimento – Imagem: Svett – Shutterstock

Dicas úteis

  • No universo das coisas que controlamos, o professor afirma que não é preciso lavar o alimento antes de guardá-lo.
  • Calma! Você deve lavar, sim, antes de comer, mas não necessariamente antes de colocar na geladeira (aliás, nem tudo deve ir pra geladeira).
  • Ele explica que, se você não conseguir secar a comida devidamente, a umidade vai acelerar o processo de decomposição do alimento.
  • Ele também não recomenda o uso de vinagre ou de bicarbonato de sódio para fazer a higienização, como algumas pessoas defendem.
  • Segundo o professor, é água corrente e só.
  • Outro fator-chave é o local de armazenamento.
  • São 3 principais: na bancada, na geladeira ou em “local fresco, seco e escuro”, como a despensa.
  • Bananas, cebola, alho, batata, batata doce e abóbora inteira ficam melhor em uma despensa ou armário escuro, segundo o especialista.
  • Outro dica: não guarde batatas e cebolas juntas, pois as cebolas produzem um gás chamado etileno, que faz com que as batatas estraguem mais rapidamente.
  • Na verdade, não armazene frutas como maçãs, peras, abacates e bananas juntas, porque essas frutas também liberam gás etileno à medida que amadurecem, fazendo com que as frutas próximas também amadureçam e estraguem mais rápido.
Nem todos os alimentos devem ir para a geladeira – Imagem: Zephyr_p/Shutterstock

Mais dicas

  • Todas as folhas verdes, cenouras, pepinos, couve-flor e brócolis ficarão melhor na gaveta de baixa umidade da geladeira.
  • Mas o ideal é que você os coloque em sacos plásticos com furinhos.
  • Se ficarem em sacos completamente fechados, eles retêm dióxido de carbono, causando decomposição e mau cheiro.
  • Algumas frutas também ficam melhor na geladeira, como maçã e laranja – e elas devem ficar na gaveta dos legumes.
  • A melancia, porém, deve ficar fora! Se ficar muito tempo refrigerada, ela perde o sabor e a cor vermelha intensa.
  • De resto, a maioria das ervas e alguns vegetais folhosos – como aipo, cebolinha e aspargos – podem ser mantidos com os caules em água para mantê-los crocantes.
  • Mantenha-os em uma área bem ventilada e longe da luz solar direta, para que não aqueçam muito e murchem.

Essas foram algumas dicas apenas. Lembrando que é importante também que você aprenda com a sua própria experiência em casa. E, sim, os vídeos sobre o assunto nas redes sociais também são muito úteis.

publicidade

As informações são do Science Alert.