Covid-19: Facebook apoiará pequenas empresas brasileiras com doações

Ao todo, serão R$ 14 milhões em doações

Luiz Nogueira 10/08/2020 17h45
Pequena empresa
A A A

Desde o início da pandemia, as pequenas e médias empresas enfrentam diversos problemas em relação ao fechamento dos negócios e ao fluxo de caixa. Considerando isso, o Facebook informa que acompanha de perto tudo o que envolve a crise econômica causada pela pandemia.


Por conta disso, a empresa informa que conhece os problemas enfrentados pelos empreendedores e estão dispostos a ajudar. Para isso, e companhia criou uma iniciativa de apoio para mais de 1.200 pequenas e médias empresas no Brasil. Ao todo, serão R$ 14 milhões em doações.

A proposta, que faz parte do programa Global Grants, permite que empreendedores que se enquadram nos requisitos solicitem doações no site fb.me/apoiofacebook. A ideia da empresa é ajudar empresas que "são a espinha dorsal de nossa economia, pois respondem por 52% dos empregos formais e 40% dos salários pagos no Brasil".

Para solicitar a ajuda, as empresas devem atender a alguns critérios específicos, como estar no mercado há pelo menos um ano, empregar de duas a 50 pessoas, ter endereço comercial nas áreas metropolitanas de São Paulo ou Brasília e ter sido impactado pela Covid-19.

Iniciativa mundial

De acordo com Conrad Leister, diretor-geral do Facebook no Brasil, desde o início da pandemia, a empresa trabalha com duas frentes. A primeira delas é manter as pessoas seguras e informadas sobre o que acontece no mundo todo. A segunda é trabalhar para que os indivíduos tenham os recursos necessários para se manterem conectadas.

Por isso, a ideia das doações é parte de uma iniciativa mundial de US$ 100 milhões para apoiar 30 mil pequenas empresas. Outros planos de ajuda da empresa incluem lojas online no Facebook e Instagram e a criação de uma Central de Recursos para Empresas.

Cuidados com funcionários

Além do apoio aos empreendedores, a empresa de Mark Zuckerberg apresenta preocupações com seus próprios funcionários. A empresa anunciou que vai permitir que seus funcionários continuem em home office até julho de 2021. A decisão é semelhante a de outras empresas gigantes, como o Google, que também deixará que seus colaboradores trabalhem remotamente até o meio do ano que vem por conta da pandemia de coronavírus que ainda mata milhares de pessoas diariamente.

O Facebook implementou o home office para seus cerca de 48 mil funcionários ao redor do mundo a partir de março, quando a primeira onda da Covid-19 começou a afetar mais países. Antes de anunciar que seus colaboradores poderão ficar em casa até julho do ano que vem, a empresa já havia permitido o trabalho remoto até dezembro de 2020.

"Com base em orientações de especialistas em saúde e governo, bem como em decisões tomadas em nossas discussões internas sobre esses assuntos, estamos permitindo que os funcionários continuem trabalhando voluntariamente em casa até julho de 2021. Além disso, estamos dando aos funcionários US $ 1 mil adicionais para atender às necessidades dos escritórios domésticos", disse a porta-voz Nneka Norville em comunicado à imprensa.


Confira em tempo real a COVID-19 no Brasil:



Facebook Brasil coronavirus doação
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar a extensão Olhar Digital Ofertas em seu navegador!

Recomendados pra você