Google tira do ar jogo relacionado aos protestos de Hong Kong

Segundo o Google, o jogo foi excluído por capitalizar em cima de um 'evento trágico'

Clara Guimarães, editado por Matheus Luque 11/10/2019 13h44
Google Sede
A A A

O envolvimento das empresas de tecnologia com os protestos de Hong Kong fica cada vez maior. Agora, o Google proibiu um jogo sobre os protestos, juntando-se à Apple e também à Blizzard na supressão de qualquer coisa que possa ofender o governo chinês.


O jogo barrado se chama "The Revolution of Our Times" e, supostamente, apresenta a vida de um morador de Hong Kong passando por eventos que precederam os protestos atuais. O aplicativo possuia opções de pequenas compras de US$ 0,99 e US$ 1,99.

Segundo o Centro de Política desenvolvedor do Google, as regras estabelecem que as violações incluem "falta de sensibilidade em relação à morte de uma pessoa ou grupo de pessoas reais" e "aparentando lucrar com um evento trágico sem nenhum benefício perceptível para as vítimas".

Embora isso pareça razoável, a última parte sobre "benefício para as vítimas" pode criar uma distinção importante. De acordo com a Hong Kong Free Press , o desenvolvedor do jogo prometeu que 80% dos ganhos serão destinados ao Spark Fund, que ajuda a cobrir custos legais dos manifestantes.

Recentemente, a Apple removeu o HKMaps Live de sua loja. O aplicativo era utilizado pelos manifestantes de Hong Kong, pois ele fornecia mapas atualizados que mostravam o movimento de policiais. A empresa Blizzard também proibiu um profissional de e-sports de jogar Hearthstone por mostrar apoio aos protestos.

Via: TNW

Google Apple game Blizzard jogos banimento protesto hong kong
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você