Vale do Silício

Congressista do Vale do Silício propõe nova regulação de tecnologia

Sofia Aureli, editado por Matheus Luque 08/11/2019 12h12
Compartilhe com seus seguidores
A A A

A proposta visa a criação de novos direitos para os consumidores e uma agência de privacidade; a ideia é dar ao cidadão americano mais controle e consentimento sobre os dados coletados

Duas legisladoras do Vale do Silício propuseram a criação de uma nova agência dos Estados Unidos para regular a coleta de dados de cidadãos americanos, com o intuito de aumentar a supervisão do setor de tecnologia.


A proposta feita pelos democratas foi divulgada na terça-feira (05) e é uma das muitas sobre privacidade que circulam no Capitólio, prédio que sedia as discussões do legislativo no EUA. Afinal, o Congresso está discutindo ao mesmo tempo uma lei federal de privacidade on-line, um processo que se arrasta por meses sem um acordo entre os dois partidos, desapontando muitos que esperavam ações este ano após violações de privacidade e uso indevido de dados por empresas, como no caso Facebook.

As autoras da proposta são Anna Eshoo e Zoe Lofgren, representantes do Vale do Silício, região do Facebook, da Alphabet Inc. (dona do Google) e de outras gigantes da tecnologia. O projeto de lei para privacidade dá aos americanos novos direitos para controlar a maneira como os serviços online usam suas informações pessoais e propõe criar uma Agência de Privacidade Digital dos EUA, que iria escrever e aplicar as novas regras de privacidade.

“Se os representantes do Vale do Silício adotarem uma posição forte pelos direitos à privacidade, isso seria significativo para o restante do Congresso”, afirmou Lofgren.

De acordo com a proposta, os novos direitos de privacidade incluiriam acesso às informações pessoais mantidas pelas empresas e a capacidade de solicitar correções ou exclusões.

As companhias também teriam que minimizar os dados que coletam e ter um “consentimento afirmativo expresso” para usar dados pessoais para criar produtos personalizados, como anúncios. Por enquanto, nem o Facebook nem o Google comentaram a respeito.

Porém, existem poucas chances da proposta ser aprovada. Afinal, o Senado é controlado pelos republicanos, que podem barrar alguns pontos vitais da proposta, como criar a agência de privacidade e conceder aos cidadãos direitos ampliados, aptos a serem usados em processos por danos em caso de violação da privacidade. “A legislação está morta na chegada”, afirmou Greg Walden, representante de Oregon e Cathy McMorris Rodgers, representante de Washington – ambos republicanos.

 

Via: The Wall Street Journal

Projeto de Lei privacidade estados unidos congresso Dados proteção de dados coleta de dados
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você