Fuja do grampo: conheça 7 aplicativos de comunicação criptografada

Na última quarta-feira, uma ligação telefônica entre o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rouseff, gravada graças a um grampo, foi amplamente divulgada pelos meios de comunicação. O vazamento da conversa pessoal da presidente agitou o cenário político e motivou até mesmo uma alfinetada do ex-analista da CIA Edward Snowden, que ironizou o caso pelo Twitter.

O vazamento do áudio da ligação aconteceu em meio a um debate agitado sobre a criptografia no mundo. Nos Estados Unidos, a Apple enfrenta o FBI, que pretende obrigá-la a burlar a segurança de seus próprios iPhones. Por aqui, (e talvez nos EUA também), a justiça briga com o WhatsApp - e até mesmo já prendeu um executivo do Facebook - em busca de dados que a empresa alega não possuir.

Essa situação deixa claro o quanto a internet muda nossa perspectiva sobre a privacidade de comunicações. A criptografia oferece a oportunidade de criar canais invioláveis de troca de dados. E, numa época em que as informações fluem em quantidade e velocidade maiores do que nunca, é importante aproveitar esta oportunidade.

Por isso, selecionamos abaixo aplicativos que podem ser usados para garantir o sigilo de suas mensagens, ligações e dados. Estes são os canais mais indicados para que você evite grampos telefônicos (se essa for uma preocupação para você, é claro). Veja a seguir sete aplicativos para proteger suas mensagens e arquivos trocados:


Signal (Android, iOS)

Reprodução

O Signal é a combinação de dois aplicativos da empresa Open Whisper Systems: o TextSecure e o RedPhone. De uso semelhante ao WhatsApp, ele permite enviar mensagens e fazer ligações para outros usuários da sua lista de contatos, sem nenhuma cobrança. A principal diferença é que tudo que trafega pelo aplicativo, incluindo dados de áudio, é criptografado por meio de protocolos de criptografia open-source revisados por outros usuários, e até o código-fonte do aplicativo está disponível no GitHub. O fato de que o próprio Edward Snowden o utiliza todo dia também deve ajudar a comprovar sua segurança.


Telegram (Android, iOS, Windows Phone)

Reprodução

Quando o WhatsApp foi bloqueado no Brasil, mais de cinco milhões de brasileiros migraram para o Telegram, o que, em termos de segurança, é bastante positivo. Ele oferece diversos recursos de criptografia para que usuários possam reter a privacidade de suas informações, e também possui a opção de “chats secretos”, que se autodestroem após um determinado período de tempo e são apagados também dos servidores do aplicativo. Ele pode até ser considerado melhor que o WhatsApp, ainda que o aplicativo do Facebook tenha muito mais usuários. Mas no quesito segurança, sua vantagem é clara.


ProtonMail (Android, iOS)


Após juntar mais de US$ 550 mil em uma campanha de doações, o Protonmail, aplicativo criado por cientistas do CERN, foi lançado para desktop, Android e iOS. Trata-se de um serviço de e-mails completamente anônimo, criptografado e gratuito. Os dados enviados entre usuários do serviço só são visíveis para o remetente e o destinatário. Nem mesmo os gerenciadores do serviço conseguem acessá-las. Além disso, por ter seus servidores hospedados na Suíça, o Protonmail é protegido pela legislação de privacidade daquele país - uma das mais fortes do mundo.


WhatsApp (Android, iOS, Windows Phone)

Reprodução

O bloqueio do WhatsApp no Brasil e a prisão do executivo do Facebook por conta da falha do WhatsApp em revelar as informações que a justiça exige também acabaram servindo de publicidade para a criptografia do aplicativo. Afinal, se eles não liberam esses dados nem sob ordem judicial, elas devem estar ou muito seguras ou simplesmente indisponíveis. Embora outras soluções ofereçam ainda mais segurança, o aplicativo popular oferece criptografia para suas mensagens instantâneas - e deve, em breve, fortalecer ainda mais sua segurança.



Pidgin (desktop - Windows, Mac e Linux)

Para trocar mensagens de maneira segura entre computadores, uma boa opção é o Pidgin. Embora ele só funcione em computadores, ele é praticamente o único aplicativo de mensagens que você precisará ter. Isso porque ele consegue integrar todos os seus canais de conversa: ele suporta diversos canais, como Google Talk, MSN Messenger, IRC e ICQ nativamente, e pode ser compatível com ainda mais canais (incluindo WhatsApp, Facebook e Telegram) por meio de plugins. Ele é gratuito e de código aberto, e possui uma função “off the record” que permite utilizar qualquer um desses canais de forma encriptada.


Linphone (Android, iOS, Windows Phone e desktop)

Reprodução

Outro aplicativo grátis e open-source criptografado, o Linphone, para smartphones e computadores, é voltado para telefonia. Ele permite que ligações sejam feitas no padrão Protocolo de Iniciação de Sessão (SIP na sigla em inglês), que é aberto, diferente do padrão do Skype, por exemplo, que é fechado. Ele permite também que os usuários criem uma conta SIP, que não é atrelada ao aplicativo, e pode ser usado por outro app de telefonia que tenha suporte à tecnologia.


Boxcryptor (Android, iOS, Windows Phone e desktop)


O Boxcryptor não é um aplicativo de comunicação, mas também é importante para a segurança. Ele permite criptografar arquivos armazenados em contas na nuvem, de serviços como o Dropbox, iCloud ou Google Drive. Assim, mesmo que os servidores da empresa sejam comprometidos por um atacante externo ou detidos pela justiça de algum país, os seus arquivos armazenados nesses servidores ainda estarão seguros. Isso permite, por exemplo, que você compartilhe arquivos sensíveis com outras pessoas criando uma conta compartilhada em um desses serviços e usando a criptografia do Boxcryptor.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ