Twitter marca vídeo retuitado por Trump como 'mídia manipulada'

Vídeo foi editado pelo diretor de mídia da Casa Branca para insinuar apoio de adversário à reeleição do presidente dos EUA

Nina Gattis, editado por Fabiana Rolfini 09/03/2020 15h20
Trump
A A A

Um vídeo publicado por Dan Scavino, diretor de mídia social da Casa Branca, e retuitado por Donald Trump foi marcado pelo Twitter como "mídia manipulada". É a primeira vez que a plataforma utiliza a tag a fim de alertar os usuários.


No vídeo editado por Scavino, Joe Biden, pré-candidato democrata à presidência, parece apoiar a reeleição de Trump. "Com licença. Só podemos reeleger Donald Trump", diz Biden no vídeo publicado por Scavino. Contudo, o democrata teve o fim de sua fala cortada, quando sugeria que a eleição de Trump não era uma alternativa cabível: "Desculpe. Só podemos reeleger Donald Trump se, de fato, nos envolvermos neste esquadrão de tiro circular aqui. Tem que ser uma campanha positiva, então junte-se a nós".

De acordo com as novas diretrizes do Twitter, a tag que aponta alguma mídia manipulada serve para destacar "vídeos que foram significativamente alterados ou fabricados de uma maneira que pretende enganar as pessoas ou alterar seu significado original".

Reprodução

A plataforma criou a marcação após consultar usuários e especialistas da Reuters e de universidades de Nova Iorque, os quais entenderam que seria correto reprimir fake news sobre a eleição presidencial de 2020, visto que o Twitter foi o responsável pela circulação de muitas informações falsas durante a campanha de 2016.

A tag passou a ser percebida no domingo à noite, mas ocorre apenas no feed - se o usuário já segue Scavino ou se alguém retuitou o vídeo -, não aparecendo nas buscas. Segundo Katie Rosborough, porta-voz do Twitter, o bug será reparado em breve.

Edição duvidosa

Para Scavino e outros republicanos, o vídeo não foi manipulado, embora tenha sido "editado de forma enganosa". Anteriormente, o Twitter não tomava quaisquer medidas contra tuítes de Trump, mesmo que o presidente estadunidense violasse os padrões da plataforma.

Por sua vez, o Facebook não notificou o vídeo de nenhuma forma. "A má conduta do Facebook no que se refere ao tráfico de informações flagrantemente falsas é uma crise nacional a esse respeito", afirmou Greg Schultz, gerente de campanha de Biden. "É também um ato desmedido de colocar o lucro acima não apenas do nosso país, mas de todos os países", acrescentou.

Reprodução

 

Via: Engadget

Twitter fake news estados unidos donald trump eleições 2020
Assinar newsletter
Assine nossas newsletters e receba conteúdos em primeira mão
enviando dados - aguarde...
Parabéns! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Atenção: Em instantes você receberá um email de confirmação da assinatura. Para efetivá-la, clique no link de confirmação que você receberá. Verifique também sua caixa de SPAM, pois por se tratar de um email automático, seu servidor de emails poderá identificar incorretamente a mensagem como não solicitada.
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar a extensão Olhar Digital Ofertas em seu navegador!

Recomendados pra você