O surto do coronavírus que afeta a China e outros países já infectou mais de 71 mil pessoas e 1.775 mortes foram confirmadas decorrente da Covid-19. Em mais uma tentativa de conter a disseminação da doença, o governo chinês decidiu agora desinfetar e, em casos extremos, destruir o dinheiro potencialmente infectado. Para compensar o prejuízo, vão ser emitidos quatro bilhões de yuans, cerca de R$ 2,47 bilhões.

As medidas foram anunciadas pelo Banco Popular da China no último sábado (15). Segundo a Organização Mundial da Saúde, o vírus pode sobreviver por algumas horas em superfícies. Por conta disso, todos os bancos do país devem literalmente lavar o dinheiro, desinfetar com luz ultravioleta e altas temperaturas, além de armazenar as notas por até 14 dias antes de colocá-las em circulação novamente.

publicidade

As notas originadas em ambientes com alto risco de contaminação, como hospitais, vão receber tratamento diferenciado. Esse dinheiro vai ser enviado de volta ao banco central e será destruído ao invés de desinfetado. Outras medidas também vão ser tomadas, como a suspensão de transferências físicas entre províncias atingidas.

Não está claro se o dinheiro em circulação no país pode realmente estar infectado. Além disso, a maioria das pessoas nas grandes cidades do país não usa dinheiro. Os aplicativos de pagamento móvel são quase onipresentes na China. Como forma de diminuir as chances de infecção, edifícios nas áreas afetas também tomam algumas medidas. Os botões de elevador, maçanetas e outras superfícies tocadas frequentemente são desinfetadas regularmente.

Via: CNN