EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A empresa chinesa Rokid criou os óculos termais T1, que usam um sensor infravermelho para detectar a temperatura de até 200 pessoas em apenas dois minutos, com até 300 metros de distância.

Com isso, os óculos podem ser usados por autoridades para detectar pessoas infectadas com a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Os óculos T1 foram desenvolvidos em apenas dois meses pela empresa para ajudar na identificação dos sintomas.

publicidade

Quando estiverem com uma temperatura acima do normal, as pessoas ou funcionários poderão ser instruídas a fazer um teste, a usarem máscaras ou se manterem em quarentena. Os óculos T1 contam com um processador Qualcomm e uma câmera de 12 megapixels, e podem ser controlados pela voz do usuário para gravar vídeos e tirar fotos.

A Rokid está negociando a venda dos óculos nos Estados Unidos, onde eles poderão ser usados por hospitais, prefeituras e pela polícia, além de empresas. Além dos óculos, a Rokid vende soluções de IoT e software de reconhecimento facial como parte de um pacote para empresas.

Por enquanto os nomes dos possíveis interessados são mantidos em sigilo, mas segundo o TechCrunch, uma das interessadas seria a Weee!. Esta empresa faz entregas de produtos asiáticos nos Estados Unidos. Segundo o seu fundador, a Weee! está avaliando usar os óculos Rokid T1 para monitorar a temperatura dos funcionários em seus depósitos durante o dia.

Os óculos T1 são considerados mais seguros do que os termômetros portáteis, pois identificam temperaturas altas sem a necessidade de uma proximidade maior. Outra questão é a privacidade dos usuários testados. A empresa garante que as informações são privadas e ficam armazenadas localmente nos óculos, sem serem enviadas para os seus servidores.

publicidade

Além disso, a Rokid promete uma atualização para permitir medir a temperatura de até quatro pessoas simultaneamente.

Via: TechCrunch