EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Pode parecer coisa de filme de ficção, no entanto, um conceito criado na década de 20 pode servir de inspiração para explorar novas fontes de energia no futuro. O estudo original tinha como objetivo captar a energia solar no espaço, criando uma nova fonte de energia limpa e renovável.

Para funcionar, seria preciso desenvolver uma potente estação espacial capaz de captar e distribuir grandes quantidades de eletricidade do espaço para a Terra. Um século depois, a Agência Espacial Europeia (em inglês, European Space Agency, ou ESA) pretende tirar a ideia do papel e transformá-la em algo viável para ser explorado no futuro.

publicidade

O potencial de sucesso, segundo os especialistas, é grande. Ainda assim, antes de dar os primeiros passos, é preciso resolver outra questão. Encontrar interessados na ideia dispostos a financiar a iniciativa inovadora.

Suprimento ininterrupto de energia

Com as temperaturas subindo, e os padrões climáticos cada vez mais imprecisos, a tendência é ficar cada vez mais difícil explorar novas fontes de energia sem causar um impacto negativo no meio ambiente. Portanto, recorrer ao espaço para gerar energia limpa, é uma solução prática para o futuro.

Outra grande barreira para as fontes renováveis, é não conseguirem produzir energia o tempo todo. A energia eólica, por exemplo, depende do sopro dos ventos para gerar eletricidade. Considerando a necessidade crescente de acesso à energia elétrica sem interrupções, é fundamental buscar novas maneiras efetivas para conseguir gerar eletricidade em larga escala.

Imagem: Quang Nguyen Vinh/Shutterstock

Estação espacial seria capaz de produzir mais eletricidade do que as fazendas de energia solar. Imagem: Quang Nguyen Vinh/Shutterstock

A grande pergunta é: como enviar toda essa infraestrutura para o espaço? Para ter uma ideia, apenas uma parte dessa estação, pode ocupar o equivalente a milhares de campos de futebol. A solução, pode ser apostar em um projeto modular.

publicidade

Construção em módulos

Para facilitar a logística de transporte, seria necessário criar peças modulares com a ajuda de impressoras 3D. Este conceito seria composto por milhares de mini satélites capazes de trabalhar em conjunto captando a energia dos raios solares. Diferente do projeto original, o uso de componentes modulares reduziria drasticamente o peso final da nova estação espacial.

Após encontrar um método eficaz para transportar toda a infraestrutura necessária para o super gerador funcionar, ainda resta saber como tudo seria montado no espaço. Até então, a ideia dos cientistas é utilizar a Estação Espacial Internacional como base operacional do projeto.

Imagem: WikiImages/Pixabay

Gerador de energia solar seria capaz de fornecer eletricidade para outros projetos no espaço. Imagem: WikiImages/Pixabay

Outro desafio importante será transmitir a energia captada no espaço até o nosso planeta. O plano inicial, consiste em utilizar os campos eletromagnéticos da Terra como mecanismo de condução até uma série de antenas. Tal conjunto de antenas especiais seria responsável pela captação da eletricidade.

Até se tornar realidade, será preciso transpor diversas barreiras no meio do caminho. Na China, por exemplo, os cientistas estimam que um projeto operacional estará pronto apenas em 2050. A estimativa dos chineses é produzir por volta de 2 GW de energia no espaço, algo que para ser atingido hoje na Terra, necessita de mais de seis milhões de painéis solares trabalhando em conjunto.

Via: The Next Web