EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Você sabia que a Terra está envolta por uma barreira artificial, criada pelo homem, que protege o planeta de ondas de radiação? Pois foi exatamente este fato que o site Science Alert resgatou nesta semana.

Descoberto em 2017, o obstáculo não permite que os cinturões de Van Allen influenciem nossa vida na Terra. Apesar de muitas vezes as ações do ser humano prejudicar o meio ambiente, desta vez, nós acertamos.

publicidade

Em primeiro lugar, vale compreender o que são os cinturões que envolvem o território terrestre. Os Van Allen abrangem nosso planeta, emitindo radiações. O cinturão interno se estende de 640 a 9,6 mil km acima da superfície da Terra. Já o externo, está em uma altitude de 13,5 mil a 58 mil km.

Em 2012, a Nasa enviou duas sondas para investigar os cinturões. Foi quando, em 2017, os equipamentos descobriram atividades estranhas às partículas carregadas capturadas no campo magnético da Terra. Tratava-se da barreira artificial criada pelo homem.

Assim sendo, o obstáculo afastou as perigosas radiações solares do nosso planeta. Isso significa que estas descargas estão mais longe de nós do que na década de 60.

Ondas VLF

A formação da barreira ao redor da Terra, que afasta as radiações dos cinturões, só foi possível por conta das ondas de rádio de frequência muito baixa, as chamadas VLF. Isto é, sinais emitidos em meio a operações de engenharia, científicas e militares.

publicidade

Normalmente, este tipo de comunicação é comum e eficiente para transmitir mensagens codificadas em longas distâncias ou em águas profundas.

Ondas VLF são utilizadas para comunicação em águas profundas, como por submarinos, por exemplo. Créditos: Noraismail/Shutterstock

Embora nunca tenha sido a intenção que estas ondas vazassem ao universo, foi exatamente isso que aconteceu nos últimos anos. Elas permaneceram tempo suficiente na superfície da Terra para criar uma espécie de bolha para proteção do nosso planeta. À época da descoberta, a Nasa revelou que “a extensão externa da bolha VLF corresponde quase exatamente à borda interna da radiação de Van Allen”.

“Uma série de experimentos e observações descobriram que, sob as condições certas, os sinais de comunicação de rádio na faixa de frequência VLF podem de fato afetar as propriedades do ambiente de radiação de alta energia ao redor da Terra”, afirmou Phil Erickson, diretor assistente do Observatório MIT Haystack, Westford, em Massachusetts.

Seja como for, em 2017, a Nasa divulgou estar aprofundando os estudos para utilizar as transmissões de VLF para remover o excesso de radiação do ambiente da Terra, bem como para outras finalidades.

Fonte: Science Alert/Nasa