EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Nasa compartilhou esta semana uma imagem de uma união cósmica impressionante: o processo de fusão de dois buracos negros. A foto foi compartilhada pela agência no Instagram oficial do telescópio Chandra X-ray Observatory, responsável pelo registro.

A descrição da imagem obtida mostra a descoberta em questão estão na galáxia NGC 6240. “Vistos como os ‘pontos’ brilhantes perto do centro da imagem, os buracos negros estão separados por apenas 3 mil anos-luz. Eventualmente, eles flutuarão juntos, formando um buraco negro maior daqui a milhões de anos”, explica a legenda da foto.

publicidade

Os cientistas acreditam que esses buracos negros estão tão próximos por estarem em uma espiral em direção ao outro, um processo iniciado há cerca de 30 milhões de anos. Ou seja, a imagem remonta a um passado muito distante, embora seus protagonistas tenham sido detectados em 2002 pelo Chandra X-ray.

Posteriormente, os dados da descoberta foram combinados então com uma imagem do Telescópio Espacial Hubble, capturada em 2008. 

“A formação de múltiplos sistemas de buracos negros supermassivos deve ser comum no universo, uma vez que muitas galáxias sofrem colisões e fusões com outras galáxias, a maioria das quais contém buracos negros supermassivos”, observou a Nasa, no blog do observatório.

publicidade

Molécula gravitacional na órbita de buracos negros

Por falar nessa descoberta, um time de pesquisadores da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, publicou um estudo que teoriza a existência de uma “molécula gravitacional” que coexiste na órbita de dois buracos negros, de forma similar ao que se vê com elétrons ao redor do hidrogênio. 

Segundo os especialistas, o comportamento desta estranha partícula pode nos levar a melhores compreensões sobre a identidade da chamada matéria escura e a natureza do espaço-tempo.

matéria escura
Matéria escura pode ser ponto-chave de uma nova descoberta teorizada por cientistas americanos. Imagem: Marcel Drechsler/Shutterstock

O argumento prático desta descoberta é o de que, hoje, nós não temos a menor compreensão da natureza da matéria escura e da energia gerada por ela, mas há quem argumente que ambas sejam feitas em um ou mais campos escalares.

Se este for mesmo o caso, então isso significaria que a matéria escura viria a existir ao redor de um sistema binário de buracos negros.

Fonte: Uol