EnglishPortugueseSpanish

Existem basicamente três categorias de veículos de baixa emissão: elétrico a bateria, combustível alternativo e elétrico híbrido. Dentre os elétricos, existem algumas diferenças básicas entre os tipos de carros híbridos.

Os tipos de veículos híbridos são: híbrido moderado (MHEV), híbrido plug-in (PHEV) e híbrido-elétrico regular (HEV). Apesar de diferentes, todos eles usam um motor elétrico com um motor de combustão para auxiliar na propulsão do veículo.

publicidade

No entanto, as semelhanças acabam aí. Cada tipo de carro híbrido implementa o motor de uma forma diferente.

Tipos de carros híbridos elétricos, os pioneiros

Quando se trata de veículos híbridos, há um que se destaca: o Toyota Prius. Isso porque ele foi o primeiro carro elétrico híbrido produzido em massa.

Veículos elétricos híbridos, como o Prius, são os chamados híbridos paralelos. Eles têm este nome porque podem usar tanto seus motores elétricos quanto seus motores de combustão lado a lado, em paralelo.

Simplificando, esses veículos têm dois motores conectados às rodas. Existem muitas maneiras de aprimorar e implementar esse conceito, mas uma versão dessa ideia foi patenteada por um engenheiro soviético em 1994. Eventualmente, esse engenheiro acabou processando a Toyota por infringir sua patente.

publicidade
Toyota Prius, exemplo de híbrido elétrico. Imagem: Grzegorz Czapski/Shutterstock

Tais carros têm baterias normalmente abaixo de 5 kWh. Eles não foram projetados para percorrer longas distâncias. Em vez disso, os componentes elétricos são usados para aliviar a carga do motor de combustão, melhorando sua eficiência e reduzindo as emissões de gases.

Veículos como o Prius carregam suas baterias enquanto andam, usando um gerador movido pelas rodas ou quando o carro desacelera usando a frenagem regenerativa. Algumas montadoras, como a Lexus, chamam esses veículos de “autocarregáveis”, apesar de isso não ser exatamente correto.

A vantagem desse tipo de híbrido é sua acessibilidade, já que não é muito diferente dos carros convencionais. Eles são movidos e abastecidos exatamente como carros comuns. O veículo se encarrega de combinar o motor de combustão com motores elétricos para entregar eficiência e potência. Ou seja, isso não requer nenhuma mudança do motorista.

Embora abastecer com combustível seja mais fácil, essa também é uma grande desvantagem do veículo. Você não pode carregar a bateria com energia renovável; o carro te obriga a queimar combustível. Não é perfeito.

Esquema de um sistema de transmissão híbrido. Imagem: Wikimedia/Reprodução

Tipos de carros híbridos plug-in, os melhores

Em princípios mecânicos, os híbridos plug-in são semelhantes aos regulares, usando a configuração de motores paralelos para movimentar o veículo.

A principal diferença é que eles possuem baterias maiores e podem ser carregados com eletricidade. Você pode dirigir um carro desses sem nunca usar o motor de combustão. Não chegaria muito longe com uma carga completa, mas não emitiria muitos gases poluentes.

A distância que esses veículos podem cobrir com uma carga varia em cada modelo, mas geralmente é algo entre 25 e 80 quilômetros. Embora os carros híbridos plug-in não sejam a solução perfeita, eles são os melhores do grupo.

Híbridos plug-in são os mais eficientes. Imagem: Restuccia Giancarlo/Shutterstock

Moderados

Eles têm “híbrido” em seu nome, mas são muito diferentes dos outros tipos. A principal diferença é que os motores elétricos desses carros não são conectados às rodas.

Esses veículos usam baterias minúsculas de baixas potências em comparação com carros elétricos convencionais – geralmente é um sistema de 48V. Elas são recarregadas com a energia acumulada na frenagem.

Em um híbrido moderado, um gerador de partida é usado para apoiar o motor diretamente. Em outras palavras, um motor elétrico é conectado ao motor de combustão para fornecer energia adicional durante a partida, aceleração ou alimentação de outros componentes do carro.

Embora a principal função de um motor a combustão seja de movimentar o carro, ele também precisa de componentes auxiliares que sugam a energia e reduzem sua potência. Utilizar um sistema de baterias para retirar essa carga extra do motor pode fazer com que suas emissões sejam menores.

Apesar de todas essas desvantagens, híbridos moderados têm alguns pontos positivos. Por exemplo, são mais leves, mais baratos, simples e fáceis de montar.

Via: The Next Web